O chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Fernando Veloso, disse que a menina estuprada por mais de 30 homens no Rio de Janeiro já pode ter passado por uma violação coletiva anterior. A informação foi manifestada em coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 30, na Cidade da Polícia. De acordo com Fernando Veloso, os indícios de outro estupro são fortes, porém não tão contundentes quanto esse que chocou o Brasil e o mundo. Isso porque o mais recente tem uma prova cabal, o vídeo que foi divulgado nas redes sociais. 

Raí Souza, que confessou ter gravado e divulgado as imagens da menina na internet foi preso. Ele agora terá que responder por constrangimento e divulgação de imagem pornográfica de menor.

Publicidade
Publicidade

Raí havia provocado grande polêmica na sexta-feira, 27, quando chegou sorrindo da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática. Apesar de confessar o #Crime, Raí não foi preso pelo então delegado do caso, Alessandro Thiers, que foi muito criticado por conta da atitude. 

A investigação agora está sob o comando da delegada Cristiana Bento. Ela também participou da coletiva de imprensa. De acordo com a delegada, muitas pessoas estão culpando a vítima ou tirando conclusões antecipadas sem saber do caso. A investigadora disse que, caso seja necessário, ouvirá novamente a menor. Outro homem, Raphael, teria cometido o crime de exploração de menor. Ele foi auxiliar de cinegrafista da TV Globo. Raphael tirou fotos ao lado do corpo da jovem nua. Essas também foram compartilhadas em redes sociais.

Publicidade

Cristiana Bento disse também que não há qualquer dúvida de que o crime do estupro teria realmente acontecido. A delegada explica que o vídeo é mais do que suficiente para dizer que houve crime. Ela, no entanto, explicou aos jornalistas que agora a polícia fará o trabalho de apuração aprofundado, contestando depoimentos e provas. Dessa forma, será possível saber quantos homens participaram do crime e em que condições esse crime aconteceu. A investigação é um dos principais assuntos do Brasil e do mundo.  #Investigação Criminal