Neste domingo (8), Aldo Rebelo (Ministro da Defesa) disse, em evento realizado no Rio de Janeiro, que a segurança das Olimpíadas, neste ano de 2016, na cidade maravilhosa, estará garantida. De acordo com o ministro, houve um corte de 25% no orçamento, para a área da defesa, mas não chegou a impactar para a realização dos jogos olímpicos.

O ministro disse que, no ano passado, ocorreu a diminuição do orçamento e este ano também, em torno de 25% sobre o planejamento inicial para o Rio-2016. Ele disse que, apesar da restrição do dinheiro, houve o pagamento das contas atrasadas e que foram colocadas em dia. E tentarão manter o necessário para a preservação dos equipamentos das Forças Armadas, falou.

Publicidade
Publicidade

Aldo Rebelo informou que se empenharam na área de segurança e defesa e colocaram recursos. Realizaram a preparação de 38 mil oficiais das três forças, do sexo feminino e masculino. Eles estão preparados para realizar a proteção dos pontos considerados estratégicos e críticos, que são os atletas, repórteres, visitantes, governantes e pessoas do Brasil.

Ataques terroristas

O Ministro da Defesa disse que, no que se refere a ataques terroristas, o país já realizou eventos internacionais e que, nas ocasiões, as providências necessárias foram tomadas e nada aconteceu.

O evento

O ministro participou da homenagem aos oficiais das Forças Armadas e civis, que aconteceu no Monumento Nacional aos Mortos (da 2ª guerra mundial), no aterro do Flamengo, no Rio.

Na ocasião, foram homenageadas autoridades civis e militares, através da medalha Vitória e 61 ex-oficiais da FEB (Força Expedicionária Brasileira) foram agraciados.

Publicidade

O ministro não falou sobre o Impeachment de Dilma Rousseff

Aldo não falou a respeito do Impeachment contra a presidente Dilma.

Para Rebelo, falar sobre as realizações dos soldados e assuntos pertinentes, a proteção do país e dos direitos democráticos, é mais ética.

De acordo com ele, o Impeachment fica por conta de Dilma, pois ela sempre se pronuncia a respeito do fato. O ministro disse que apoia a presidente.

Questionaram o ministro sobre cortes no orçamento, caso Michel Temer venha a ocupar o cargo da presidência da república. Ele disse que não tinha nada a declarar, pois só comenta sobre o governo de Dilma Rousseff. #Entretenimento #Rio2016 #Ataque Terrorista