Ela é loira, bonita e apareceu para todo o país durante um reality show voltado para 'Mulheres Ricas', da TV Bandeirantes. No entanto, a fortuna de Val Marchiori sempre foi uma incógnita. Nesta quarta-feira, 18, a mídia brasileira noticiou que a empresária e apresentadora teria sido denunciada pelo Ministério Público Federal (MPF). A denúncia é grave, tipificada na constituição brasileira até com pena de reclusão, ou seja, prisão. Val Marchiori é acusada de ter cometido falsidade ideológica quando contraiu um empréstimo milionário em um banco estatal. O valor do empréstimo se aproximou dos três milhões de reais.

Financiamento suspeito

A ilegalidade teria acontecido durante a solicitação de financiamento.

Publicidade
Publicidade

A empresa gerida pela socialite conseguiu o dinheiro do Banco do Brasil depois de autorização de outro órgão ligado ao governo federal, o Banco Nacional do Desenvolvimento, o BNDES. Os três milhões de reais teriam sido utilizados, de acordo com o pedido feito pela loira, para a compra de caminhões.

Manobra para conseguir dinheiro de financiamento

No entanto, na hora de conseguir o empréstimo do BNDES, Marchiori teria usado o famoso "jeitinho brasileiro". De acordo com o Ministério Público Federal, a empresária rica alterou o nome da empresa pela qual pegou o dinheiro, mudando o nome da razão social da 'Torke Empreendimentos'. A mudança, segundo a denúncia, teria como intuito adequar-se ao rígido modelo exigido pelo BNDES. 

Outros acusados e negativa de irregularidades 

Além dela, são acusados na ação o seu irmão, Adelino Marchiori e um gerente do Banco do Brasil, Alexandre Canizella.

Publicidade

Os dois teriam ajudado a empresária a levar a empreitada adiante. Em uma entrevista publicada no UOL, Val negou que tenha feito qualquer ação ilegal. No entanto, segundo o MPF, após realizar a compra dos caminhões para a empresa, Val ainda teria pedido o restante do limite de crédito no valor de R$ 3 milhões para comprar um Porsche Cayenne. Pelo jeito, ela gosta mesmo de ser chique. 

Caso seja comprovada a irregularidade, a empresária pode receber penas fortes, como devolver o dinheiro do empréstimo ou pagar uma multa. No entanto, essas ainda não foram tipificadas na imprensa até o fechamento desta reportagem.  #Crime #É Manchete!