Mais uma vez o MST invade propriedade alheia e destrói tudo o que encontra pela frente. Dessa vez o movimento esquerdista invadiu a Fazenda Esmeralda, que fica localizada em Duartina, no interior de São Paulo.

A propriedade é de João Baptista Lima Filho, que é amigo do atual presidente da república, Michel Temer. O ato pode ter sido impulsionado como uma represália ao processo de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff.

A invasão aconteceu no dia 9 e foi desocupada no domingo após uma ordem judicial. Segundo informações oficiais da Polícia Militar de Duartina, houve furto de vários equipamentos, além de depredação na propriedade e abate de gados.

Publicidade
Publicidade

Tentando virar o jogo do alvo da Lava Jato, Luís Inácio Lula da Silva, os invasores acusam Temer de ser proprietário oculto da fazenda, mas as acusações não possuem fundamentos e foram descartadas, uma vez que ainda que houvesse algum indicio de irregularidade, nada justifica infringir uma lei federal que determina que a propriedade é inviolável.

Os esquerdistas mataram alguns bois e deixaram suas carcaças espalhadas no local. Segundo a PM, os animais teriam sido abatidos, supostamente, para o consumo dos invasores, entretanto, já ocorreram outras invasões do MST onde animais são abatidos pelo grupo por pura maldade.

Fotos da crueldade com vacas, bois e bezerros estão espalhadas pela internet, sendo o caso mais marcante ocorrido no final do ano passado no Pará, quando além de assassinarem diversas vacas prenhas, retiraram os filhotes e os deixaram espalhados no chão junto aos pedaços da mãe.

Publicidade

O MST negou a participação na matança dos animais.

Além das depredações, a sede da fazenda teve as paredes pichadas. O delegado responsável pelo caso, Luis Carlos Amado, pediu uma perícia no local e um inventário com a relação detalhada dos danos provocados durante a invasão.

Versão do MST

Segundo os líderes do grupo, as acusações não procedem e a invasão foi “legitima e pacífica”. Entretanto, caem em contradição e afirmam que não há nada de errado com as pichações que fizeram durante o período da ocupação, pois foram uma forma de “protesto”.

E você, o que acha desse novo episódio das invasões do MST? Opine deixando o seu comentário. #Violência #Casos de polícia #Michel Temer