O defensor da presidente Dilma Rousseff está indo trabalhar de bicicleta. Isso mesmo. José Eduardo Cardozo já não tem mais direitos a "regalias" de Ministro (ele ocupou o Ministério da Justiça durante o governo da petista), tampouco de Advogado-Geral da União. Ele foi exonerado do cargo assim que o Senado deu seus 55 votos que afastaram Dilma. Com a perda do cargo, Cardozo também ficou seu o carro oficial. Ele também perdeu o direito à residência oficial está morando em um flat em Brasília. De acordo com a jornalista Monica Bergamo em nota publica nesta quarta-feira, 18, Cardozo agora anda pela capital brasileira com a bicicleta, que pasmem, teria sido emprestada pela própria Dilma. 

Dessa forma, o defensor da representante do Partido dos Trabalhadores (PT) também vai de bike do flat até o Palácio da Alvorada, residência oficial da presidente da república, uma das "regalias" que não foram tiradas de Rousseff.

Publicidade
Publicidade

A decisão da líder governamental afastada poder continuar morando no Palácio da Alvorada foi despachada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas. Calheiros é considerado um dos colegas políticos de Dilma, mas não foi capaz de barrar seu processo de #Impeachment. Ele, no entanto, deu-se o direito de não votar sobre o impedimento.

Existem algumas ações na justiça que pedem que a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva perca os direitos que são dados aos chefes de estado, alegando que no momento ela não exerce qualquer função pública. Dilma está recebendo, por exemplo, o salário completo de presidente, quando a legislação estabelece que ela precisa receber apenas metade da quantia. Ela também está tendo acesso a aviões oficiais da Força Aérea Brasileira (FAB), carros oficiais, seguranças e até alguns funcionários.

Publicidade

É bom lembrar que o afastamento de Dilma ainda pode ser revertido no Senado, apesar desse ser extremamente improvável. Para que Rousseff volte a governar ela tem que receber menos de 54 votos favoráveis à sua deposição.  #Dilma Rousseff