Na madrugada deste sábado, 28, a jovem adolescente que diz ter sido estuprada por 33 homens, usou o Facebook para pedir que parem de culpar ela pelo #Crime. Até então conhecida apenas na comunidade onde mora, a menina ganhou fama na internet e tem mais de 153 mil seguidores. "Não, eu não quero midia, não não fui eu que postei fotinha muiito menos video! (SIC)", começa ela na publicação, que em seguida faz um pedido especial aos brasileiros que estariam destilando a chamada "cultura do estupro". "Então parem de me culpar quem errou e procurou não fui eu!! a culpa nunca é da vitima .. ninguem culpa quem foi assaltado por está na rua cm o celular bjjjj (SIC)", termina ela a publicação.

Publicidade
Publicidade

O post teve mais de 15 mil curtidas e 500 compartilhamentos até o momento em que essa reportagem foi publicada. 

Nos comentários, no entanto, boa parte dos seguidores da garota achavam estranha a história contada por ela. Alguns até revelaram que no começo se solidarizavam, mas que o fato da polícia não prender ninguém e dos supostos envolvidos dizerem que o sexo foi consensual começou a mudar a história. Em uma coletiva dada nesta quinta-feira, 27, investigadores disseram que existem indícios fortes para dizer que houve estupro, mas que apenas um dado mais concreto poderia fazer com que eles solicitassem a prisão preventiva dos envolvidos. A polícia apura o caso desde quarta-feira, 25. A menina também foi chamada para prestar outro depoimento. O ex-namorado e um jovem que gravou e divulgou o vídeo que mostra a menina desacordada também falaram com os policiais.

Publicidade

Após os depoimentos, todos foram liberados. 

"Verdade, agora ela é a vítima antes eu fiquei indignada com tudo isso , depois que a verdade foi aparecendo vi que isso tudo ela mesmo que procurou , viu se misturou com eles agora aguenta isso ai vai ser dai pra pior , colheu oqur plantou quem se mistura com porco farelo come se fosse honesta , trabalhadora , estudante não estaria passando por isso (SIC)", publicou um internauta ao comentar o caso.  #Investigação Criminal