Um parente da adolescente de 16 anos, que foi estuprada por mais de 30 homens, deu entrevista para o RJTV. A pessoa disse que a família ficou aliviada pela vida da adolescente, vítima de estupro coletivo na Zona Oeste do Rio de Janeiro, ter sido poupada. O parente acredita que o agente comunitário que a levou para casa salvou a vida da jovem, pois se ela tivesse ficado no local seria morta. Segundo a pessoa, a suspeita acontece porque é o que eles costumam fazer. “Eles estupram e matam”, disse.

A menina foi estuprada no sábado (21), em uma comunidade localizada na Zona Oeste do Rio. Quando deu depoimento à polícia, a jovem contou que foi para a casa do seu namorado, com quem se relaciona há três anos, e a última coisa que se lembra é que estava na casa dele.

Publicidade
Publicidade

Depois, ela acordou no domingo em um local que não conhece, com 33 homens armados ao seu redor. Ela estava nua e dopada.

Só na terça-feira ela conseguiu voltar para casa, de acordo com a parente, ela chegou com uma roupa de homem, toda rasgada, sem calçado, descabelada e parecendo que tinha se drogado. A família perguntou o que tinha acontecido, mas ela não falou.

Segundo o parente, ela voltou no mesmo dia ao local, para tentar pegar o celular, que foi roubado. Mais uma vez foi orientada por um agente comunitário que a levou em casa.

Só na quarta-feira (25) os familiares souberam que ela tinha sido vítima de estupro coletivo. A descoberta foi feita ao terem acesso às fotos e vídeos divulgados em redes sociais, co a adolescente dopada, nua e sangrando. Os homens que compartilhavam o material debochavam do #Crime.

Publicidade

Pelo menos três já foram identificados, sendo que dois postaram fotos e vídeo na internet e o outro é suspeito de ter participado do estupro coletivo. Os nomes não foram divulgados até o momento pela polícia.

A adolescente foi examinada nesta quinta-feira (26) e tomou medicamentos para evitar doenças sexualmente transmissíveis. Ela também esteve no Instituto Médico Legal para exame e já deu depoimento na delegacia.  #Investigação Criminal #Casos de polícia