Os manifestantes da Frente Nacional de Lutas fizeram uma espécie de sessão de fotos polêmicas na antiga sede do Ministério do Desenvolvimento Agrário. A informação foi confirmada nesta terça-feira, 24, pela jornalista Vera Magalhães, que assina a coluna Rafar no site da 'Revista Veja'. Os que protestos fazem parte do grupo de apoio à presidente afastada Dilma Rousseff. Eles não deixaram de guardar recordações da invasão. Alguns até fizeram poses "quase sensuais", muito comuns em ensaios fotográficos.

Uma das imagens mostra uma mulher no chão com as pernas cruzadas. Já outra exibe um homem desfrutando de todo o conforto de um sofá. Apesar das dificuldades do trabalho agrário, os manifestantes pareciam bem à vontade durante a invasão da pasta, em Brasília.

Publicidade
Publicidade

Eles reivindicavam uma reforma agrária urgente, além da saída do presidente em exercício Michel Temer do poder. 

Não é a primeira vez que invasões do tipo provocam polêmica na internet. No início do mês, logo após o Senado aprovar com 55 votos o afastamento de Dilma do #Governo, o Movimento dos Sem Terra (MST) invadiu uma fazenda no interior de São Paulo. De acordo com os manifestantes, o motivo da invasão está aliado à uma suposta relação do local com o presidente interino Michel Temer. A assessoria do político negou que ele tivesse qualquer relação com a propriedade, a não ser uma amizade com o dono.

A polícia investiga se houve depredação do local e conta os prejuízos. Imagens de pichações e até de bois que foram abatidos para o consumo dos manifestantes chegaram a chocar muitos internautas.

Publicidade

O MST negou que tenha destruído a propriedade, mesmo após a divulgação das imagens polêmicas.

A entidade pode perder benefícios do governo. Isso porque Michel Temer já disse que quer economizar com todos os tipos de verbas, inclusive, àquelas destinadas para sindicatos. No entanto, a publicidade para blogs é a principal vertente dos cortes contra opiniões políticas patrocinadas pelo governo. O peemedebista quer patrocinar apenas sites "jornalísticos".  #PT #É Manchete!