A história da adolescente de apenas 16 anos de idade que foi estuprada por mais de 30 homens em uma comunidade da Zona Oeste carioca ainda choca muitas pessoas nas redes sociais e nas ruas. E o desenrolar desse fato ainda promete várias continuações. Isso porque acaba de ser preso um dos suspeitos de violentá-la, em uma ação do 9º Batalhão da Polícia Militar. Segundo o tenente-coronel Araújo para o jornal O Globo, está sendo feita uma operação no morro José dos Operários, bairro da Praça Seca, próximo onde a adolescente mora.

As denúncias de que ele seria um dos membros do estupro coletivo chegaram por meio dos moradores da comunidade.

Publicidade
Publicidade

O detento foi levado para a Delegacia de Repressão a Crimes de Informática para conversar com oficiais do local, onde acontece a investigação da história.

Por conta da lentidão em prender as mais de 30 pessoas que participaram do estupro coletivo, muitos internautas estão chamando o titular da Delegacia de "machista", uma vez que ele duvida da versão da vítima.

A operação no Morro São José dos Operários começou hoje, às 7h da manhã, garantida pelo Grupo de Ações Táticas das unidades subordinadas ao 2º CPA. Por meio de nota, a PM disse que a ação foi direcionada para encontrar os estupradores da adolescente e oferecer segurança para a população, repreendendo outros crimes como roubo de rua, veículos, cargas e também tráfico de drogas. Segundo a própria adolescente, os estupradores estavam fortemente armados durante a ação e a imobilizaram na cama.

Publicidade

Na ação, além do suspeito de estuprar a jovem, foram apreendidas drogas e carros roubados. Durante todo o dia, a Delegacia de Repressão aos Crimes Digitais vai fazer investigações para apurar o caso nas ruas. O local onde ocorreu o #Crime já foi identificado e é conhecido no Morro do Barrão como "abatedouro", ou seja, região onde são levadas garotas para serem abusadas sexualmente.

Apesar da ação não ter sido recebida com resistência na entrada da comunidade carioca, houve troca de tiros com criminosos. #Investigação Criminal #Casos de polícia