O caso da adolescente que ‘foi vítima’ de um estupro na cidade do Rio de Janeiro onde um vídeo mostra 33 homens ‘estuprando’ a menor de idade, ganha um novo teor. Dessa vez, com relação às autoridades policiais e um suposto ‘desconforto’ da jovem que estava prestando depoimento na delegacia. Em entrevista dada ao programa global 'Fantástico', a garota conta que não se sentiu bem na delegacia porque haviam três homens dentro de uma sala junto dela. Além disso, a menor diz que o delegado, Alessandro Thiers, supostamente estava culpando a adolescente.

“O próprio delegado me culpou. Quando eu fui à delegacia eu não me senti à vontade em nenhum momento".

Publicidade
Publicidade

– conta a jovem vítima do estupro em entrevista exclusiva para o Fantástico, hoje, (29) – "Eu acho que é por isso que muitas mulheres não fazem denúncias (...)”, detonou a jovem. Ela conta que naquele momento, naquela sala na delegacia, a adolescente sentiu que as pessoas que ali estavam supostamente ‘tentavam’ demonstrar que ela era a culpada por ter sofrido o estupro.

No próprio depoimento, a jovem fala que chegou a pedir uma pausa porque não estava se sentindo confortável naquele momento. Para a adolescente, os motivos pelos quais o ambiente não era favorável para que ela pudesse expor tudo o que aconteceu no dia de domingo, quando aconteceu o estupro coletivo, tinham a ver exatamente com o delegado e os outros dois ‘homens’ que ali estavam presentes.

“(...) tinham três homens dentro da sala.

Publicidade

A sala era de vidro, todo mundo que passava via. Ele colocou na mesa as fotos e o vídeo. Expôs e falou: ‘me conta aí’”, disse a garota. Segundo ela, Alessandro Thiers só havia perguntado isso, o “me conta aí” apontando para os objetos em cima da mesa, e isso, para ela, foi o que mais causou desconforto no depoimento. A jovem explicou que esperava que o delegado perguntasse se ela estava se sentindo bem naquele momento, como estava, o que aconteceu com ela depois do episódio, enfim, que procurasse saber mais sobre a sua situação pós-estupro. Mais à frente na entrevista, a jovem conta que o delegado perguntou se a garota tinha o ‘costume’ de praticar atos libidinosos com mais de uma pessoa e se ela gostava de fazer isso.

Após essa pergunta, a adolescente explica que não conseguiu mais responder a nenhum dos questionamentos e pediu para que parasse com o depoimento, pois, segundo o que ela disse ao Fantástico, a garota se sentiu ‘desrespeitada’. #Crime #Violência