O professor João Ricardo Moderno ficou revoltado com a atitudes de alguns alunos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, a Uerj. A instituição passa por dificuldades e por um momento de greve e de acordo com o docente, através do movimento de esquerda, que dominaria a universidade há décadas, o patrimônio do local teria sido destruído. Ele chama os estudantes de graduação de vândalos e conta que eles fizeram até uma espécie de maquiagem em uma das salas de aula, tirando uma mesa nova e colocando uma completamente depredada. O relato do professor aparece em um momento que o país passa por uma grave crise econômica e política. Recentemente, a presidente Dilma Rousseff foi afastada do cargo e quem assumiu foi Michel Temer. 

Veja abaixo o desabafo do professor:

UERJ.

Publicidade
Publicidade

Minha mesa de sala de aula 9.059 F, 9º andar, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas. É sala da graduação. A da pós a chave sumiu. Trago um alicate para ligar o ar-condicionado, pois os "estudantes" vândalos furtam os botões. Não são os alunos da pós-graduação, mas da graduação, em greve. São décadas de dominação da esquerda na UERJ que levaram a isso.

Apoio a docente que passa problemas para dar aulas

Não demorou muito para que a publicação do professor João Ricardo Moderno tivesse milhares de compartilhamentos e curtidas na internet. A maioria dos internautas demonstrou apoio à revolta dele. Abaixo selecionamentos alguns dos comentários mais eloquentes. 

"Preocupante é saber que esse tipo de ''estudante'' estará um dia em sala de aula lecionando."

" UERJ é agora uma fábrica de militantes!! Sua mesa mostra bem o produto que ela está jogando no mercado!".

Publicidade

"Inaceitável. Honestamente o Brasil precisa acabar com essa esquerda maléfica. Aí sim, vamos voltar a ser um Pais ."

"Quinto mundo. Que futuro tem essa gentalha? Que filhos vão colocar no mundo? Deviam ser estéreis!".

E você, o que acha da manifestação do professor que ficou revoltado com a atitude dos seus alunos em uma universidade pública do Rio de Janeiro? Comente esta reportagem e compartilhe com amigos.  #Crime #É Manchete!