Uma das maiores polêmicas do governo do presidente em exercício Michel Temer se deu em torno da extinção do Ministério da Cultura. Diversos artistas estão neste momento, inclusive, ocupando prédios públicos por todo o país como forma de protestar. Atualmente, o então Ministério virou uma Secretaria Nacional, cujo secretário é Marcelo Calero, que exercia a mesma atividade da prefeitura municipal do Rio de Janeiro. O momento mais célebre dessa polêmica, no entanto, aconteceu no festival de Cannes, na França, quando atores do filme 'Aquarius' exibiram cartazes dizendo que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff era um golpe.

Mas será que a preocupação faz sentido, digamos, realmente existirá algum corte com o fato da Cultura deixar de ser Ministério? De acordo com informações do site da Revista Veja, desde o ano de 2003, quando Luiz Inácio Lula da Silva começou a gestão petista no governo, o orçamento dessa área teria sido cortado pela metade.

Publicidade
Publicidade

O barulho então deveria ter começado justamento quando #Dilma Rousseff ainda estava no poder. Segundo um levantamento do Sistema Integrado de Administração Financeira, o Siafi, o Ministério estava sendo asfixiado durante o governo de Rousseff. 

De acordo com o novo titular da Siaf, Mendonça Filho, existe agora um compromisso de aumentar o destino do orçamento para projetos culturais com a gestão de Michel Temer. Quando Lula assumiu o governo, ele destinou R$ 4,2 bilhões para a área. 13 anos depois, com uma inflação perto de 100%, Rousseff caiu esse número para a metade. Em 2016, por exemplo, a previsão dada pela petista é de R$ 2,4 bilhões. A análise fez correção nos valores da inflação para calcular o quanto foi perdido entre o primeiro governo de Lula e o atual ano, que marca o afastamento de Dilma do poder e que pode culminar até com sua deposição. 

Avalia-se entre membros da oposição, que o #PT quer aproveitar uma falta de informação sobre o setor para se fazer de "santo", usando o protesto pela cultura para algo a favor de Dilma, o que até então ainda não havia acontecido com grande força entre as personalidades.

Publicidade