O assunto que está movimentando Brasília no dia de hoje (9) é a anulação da sessão da Câmara dos Deputados, na qual foi votada a admissibilidade do #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff. Agora no final da tarde, o Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), chegou a Brasília e já se reuniu com aliados e lideres partidários para decidir como seguirá o processo. Segundo interlocutores próximos, Renan dará sequência ao processo, ignorando a decisão da Câmara.

A sessão no Senado começou próximo das 16h, presidida inicialmente pelo vice-presidente da mesa diretora do Senado, Tião Viana (PT-AC), que defende abertamente a devolução do processo à Câmara.

Publicidade
Publicidade

Mas segundo o senador Romero Jucá (PMDB-RR), a decisão de Waldir Maranhão não tem efeito algum, e o Senado deve continuar o processo normalmente, inclusive com a leitura da decisão da comissão na sessão de hoje: "O presidente Renan virá dizer sua posição. Mas eu defendo que o processo continue. Foi uma decisão esdrúxula. Não é por causa de uma patetada e uma decisão esdrúxula que vamos mudar o nosso rito. Foram três patetas, vamos saber quem são até o final do dia quem são".

O presidente da comissão do impeachment no Senado, o senador Raimundo Lira (PMDB-PB), também se pronunciou à respeito da decisão de Maranhão: "Segue absolutamente normal. Não há nenhuma razão jurídica para não seguir. Eu quero tranquilizar o Brasil, Essa decisão tumultuou a economia brasileira, o processo político. Não foi bom para o Brasil.

Publicidade

Temos que ter responsabilidade, a calma e, sobretudo, a serenidade para não criar nenhum fato novo para complicar a vida brasileira. Não tem nenhuma eficácia. Hoje (o impeachment) pertence ao Senado Federal".

Renan se reuniu com diversos lideres partidários e senadores, governistas e oposicionistas, e deve tomar sua decisão nas próximas horas. A tendência é que continue o processo normalmente, somente interrompendo por decisão do STF, que já está sendo consultado à respeito de todo o processo e certamente se pronunciará nas próximas horas.

O senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP) se reuniu com o presidente do Senado e confirmou que a tendência é de continuidade ao processo de Impeachment: "Não teve nenhuma reunião formal de líderes. Vários senadores, em momentos diferentes dialogaram com o presidente Renan. Tudo indica que a decisão do presidente será fazer a leitura do relatório da comissão especial. A tendência da posição dele é nesse sentido. Houve um apelo feito principalmente pelos líderes e senadores do PT e do PCdoB, mas o presidente está convencido de que o ato do presidente da Câmara foi ilegal, intempestivo e que, salvo se tiver uma decisão do Supremo Tribunal Federal não há de se falar na suspeição da leitura" #Congresso Nacional