O PSOL anunciou que vai entrar nesta segunda-feira, 23,  com uma representação pedindo a prisão por obstrução da justiça do atual ministro do Planejamento e senador licenciado, Romero Jucá, do PMDB de Roraima. O pedido ocorre depois de uma conversa vazada na imprensa em que o Ministro do Planejamento do presidente em exercício #Michel Temer falaria sobre um suposto plano de atrapalhar a principal investigação que acontece no país, a Lava Jato. A representação do PSOL, legenda de esquerda e agora da oposição do governo Temer, será entregue pelo deputado Ivan Valente de São Paulo à Procuradoria-Geral da República. O caso será analisado pelo Procurador Rodrigo Janot.

Publicidade
Publicidade

Por ser Ministro, Romero Jucá tem foro privilegiado e só quem pode abrir investigações contra ele ou fazer pedido de prisão, mesmo que preventiva, é o Supremo Tribunal Federal (STF). Recentemente, Rodrigo Janot solicitou a mais alta corte do país para abrir um inquérito contra a presidente afastada Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Advogado-Geral da União, José Eduardo Cardozo, pelo mesmo motivo, supostas tentativas de obstruir a Lava Jato. O Supremo, no entanto, não avaliou a questão. Pelo contrário, outros processos contra o petista, como o que avaliava o mérito de sua posse como Ministro da Casa Civil após o pedido de prisão preventiva do Ministério Público do Estado de São Paulo, sequer foram julgados. A questão foi adiada para data ainda a ser agendada. 

Diversos nomes do governo já apoiam que Michel Temer decida demitir o atual Ministro.

Publicidade

Isso porque o início de governo do peemedebista já foi extremamente conturbado. O fato dele ter extinto alguns Ministérios, especialmente o da Cultura, gerou a revolta de uma parte da população. Isso também ajudou Dilma, afastada, a ter um discurso mais forte do "quero voltar". A votação contra ela no Senado precisa acontecer nos próximos meses. Já sua defesa deve ser realizada no início de junho, provavelmente feita mais uma vez por José Eduardo Cardozo. #Crime