A Polícia Civil está contando com a ajuda da população para prender os mais de 30 homens que estupraram uma garota e gravaram tudo, vindo a postar o vídeo no Twitter. O #Crime chocou o Brasil e todos esperam que os culpados sejam punidos, entretanto será preciso contar com a colaboração de todos para que os envolvidos nesta barbaridade sejam descobertos.

Qualquer pessoa que tiver uma informação sobre o caso deve entrar em contato com a polícia para fazer a denúncia. A garota tem apenas 16 anos, já prestou depoimento e agora está com a família. Ela contou que foi drogada primeiro e depois foi estuprada por dezenas de homens.

Publicidade
Publicidade

Ela tinha ido visitar seu namorado na sexta-feira (20) e disse que só foi acordar no domingo.

A jovem disse não se lembrar de muitas coisas, mas que quando acordou tinha 33 homens armados, alguns com pistolas e outros com fuzis e ela estava presa em um imóvel que fica em uma comunidade localizada próximo ao bairro Jacarepaguá, no Rio de janeiro.

A avó da vítima disse ter ficado em estado de choque ao ver a neta sendo violentada daquela forma.

A DRCI - Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática - já abriu investigação e está apurando o vídeo, além de fazer o rastreamento do perfil no Twitter que fez a postagem. Este perfil já foi excluído, mas a polícia tem como obter informações que poderão ajudar a chegar aos responsáveis. No vídeo aparece a garota dopada, com os órgãos genitais expostos e os usuários da rede social ficaram revoltados com as cenas chocantes.

Publicidade

Se você tem alguma informação que possa ajudar neste caso, envie para o e-mail: alessandrothiers@pcivil.rj.gov.br

Este e-mail é do delegado Alessandro Thiers, que está responsável pelas investigações e ele pede a contribuição das pessoas que tenham alguma pista que leve a um ou alguns dos envolvidos no estupro coletivo.

Importante lembrar que divulgar este tipo de material nas redes sociais é crime, por isto nunca passe adiante uma mensagem que tenha este tipo de vídeo ou imagem. O melhor a ser feito é entrar em contato com as autoridades denunciando o usuário. #Internet #Casos de polícia