A polícia já descobriu quem é o rapaz responsável por postar no Twitter o vídeo que mostra uma garota de apenas 16 anos sendo estuprada por mais de 30 homens em uma comunidade do Rio de Janeiro. Raí já admitiu que postou mesmo o vídeo em seu perfil na rede social, entretanto ele alega que não participou do estupro coletivo.

Raí foi ouvido pela polícia ainda na noite desta última sexta-feira (27) e assumiu ser o divulgador do vídeo na rede social, o que acabou gerando uma revolta por todo o país. O rapaz tem 22 anos e ainda não estava entre os suspeitos de ter praticado o estupro, mas agora já é investigado pela polícia.

Publicidade
Publicidade

Alessandro Thiers, delegado responsável pela Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, é quem está investigando esse caso e informou que pela versão dada por Raí, realmente foi ele quem gravou o vídeo, mas quando ele disse "trinta passaram aqui" ele estava, na verdade, se referindo a um funk e não ao fato de que trinta homens já haviam mantido relações sexuais como a menina.

A família da garota estuprada já está pensando em se mudar para outro estado, pois ela está sendo muito assediada pela imprensa e as pessoas de um modo geral, sendo que dessa forma dificilmente ela conseguirá se recuperar do trauma e recomeçar sua vida.

Raí esteve na Cidade da Polícia no mesmo instante em que Lucas Perdomo Duarte Santos, jogador de futebol, 20 anos, alegado namorado da jovem estuprada e com quem ela ficou na noite anterior ao #Crime.

Publicidade

Lucas afirmou à polícia que não é namorado de Bia e ainda disse que Raí é quem teve relações sexuais com a jovem e não ele.

Quando Raí chegou à delegacia para prestar depoimento ele ironizou a "fama" e ficou acenando para os fotógrafos de plantão no local. Cláudio Lúcio, advogado do rapaz, confessou que ele já admitiu ter gravado o vídeo, mas que não teria participado do estupro.

Nesta mesma noite a polícia ouviu o depoimento da jovem que teve relações sexuais com Lucas, suposto namorado da jovem estuprada. Outras pessoas já estão programadas para serem ouvidas nos próximos dias, para que a polícia possa esclarecer definitivamente o caso. #Internet #Casos de polícia