Uma garota de apenas 16 anos foi estuprada por 33 homens e o #Crime chocou o país, mas o que revoltou também foi o fato deles gravarem a cena e mostrarem as partes íntimas da jovem. Eles comemoravam, certos de que não haveria punição, e estavam tão certos disso que chegaram a divulgar o vídeo no Twitter. Entretanto as imagens causaram uma grande revolta nos usuários da rede social, que logo denunciaram o perfil da pessoa que divulgou as imagens e a conta foi suspensa.

Indignadas, as pessoas denunciaram também para a polícia, que logo começou a investigar o caso. O Ministério Público também já está investigando  e já foram mais de 800 denúncias feitas desde que o vídeo foi divulgado no Twitter.

Publicidade
Publicidade

O estupro aconteceu em uma comunidade na Zona Oeste do Rio de Janeiro e a adolescente já revelou em seu depoimento que ela foi para o local na sexta-feira (20), mesmo dia em que ficou dopada e não se lembra de mais nada, pois só foi acordar no domingo (22) em uma casa na mesma comunidade onde estava cercada por 33 homens, todos armados de pistolas e fuzis.

A família da menina disse que era comum ela ir para essa comunidade, onde costumava ficar vários dias sem dar notícias, por isso não comunicou nada à polícia. Um agente comunitário, que passava por uma praça próxima ao local, foi que viu a garota e levou-a até a casa de seus familiares. A avó da menina ficou chocada com o que viu no vídeo.

A polícia já pediu a prisão dos 4 homens identificados até o momento e ainda de acordo com a polícia, os suspeitos de divulgarem os vídeos no Twitter são: Michel Brazil da Silva, 20 anos e Marcelo Miranda da Cruz Correa, 18 anos.

Publicidade

O nome do namorado da garota estuprada é Lucas Perdomo Duarte Santos, ele tem 20 anos e já está sendo investigado pela polícia.

E tem o quarto elemento, que é o Raphael Assis Duarte Belo, 41 anos. É ele que está em uma foto, bem ao lado da garota estuprada. Esse suspeito já trabalhou na Rede Globo de Televisão como "apoio a operador de câmera".

A polícia conta com a ajuda da população para identificar os demais estupradores. Clique aqui para ver como ajudar. #Internet #Casos de polícia