Dos 33 homens que participaram do estupro coletivo, dois deles foram identificados e estão com o pedido de prisão feito. Além deles, mais dois que divulgaram imagens nas redes sociais também foram identificados e ser já há o pedido de prisão. Um dos que participou do estupro já trabalhou como apoio a operador de câmera na Globo. A informação é do G1.

Segundo eles, Raphael Assis Duarte Belo, de 41 anos, foi desligado da Globo em 2015 e agora a polícia não sabe qual a profissão dele. Este homem foi o que postou uma selfie com a adolescente nua, após o estupro, ferida e sangrando.

O rapaz com quem a jovem tinha relacionamento há três anos também foi identificado e tem pedido de prisão feito pelo delegado do caso.

Publicidade
Publicidade

O nome dele é Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos.

Além dos dois suspeitos de participarem ativamente do estupro coletivo, a polícia pediu a prisão dos dois que divulgaram as imagens do #Crime e debocharam do ato dos 33 estupradores. Michel Brazil da Silva, de 20 anos, e Marcelo Miranda da Cruz Correa, de 18 anos, são os suspeitos de terem divulgado as imagens.

A menina de 16 anos foi para a casa do namorado no sábado (21). Segundo ela, a lembrança é de que estava na casa dele e depois acordou apenas no domingo, dopada e nua. Ela viu 33 homens armados perto dela.

Ela só conseguiu voltar para casa na terça-feira (24), com ajuda de um agente comunitário. Ela não contou para a família o que havia acontecido, mas os parentes notaram que ela estava descabelada, com roupas masculinas rasgadas e descalça.

Publicidade

A adolescente teve o celular roubado e tentou voltar à comunidade na qual foi estuprada para recuperá-lo, mas não conseguiu. A família da menina só ficou sabendo quando as imagens foram postadas e compartilhadas nas redes sociais, na quarta-feira (25).

A polícia agora investiga para encontrar os outros participantes do crime. A Presidente Dilma postou uma mensagem em solidariedade à vítima, em seu Facebook oficial. "É inaceitável que crimes como esse continuem a acontecer", escreveu. Veja: #Investigação Criminal #Casos de polícia