'GOLPE' - A palavra escrita em letras garrafais foi dita à exaustão nos dois meses - ganhou nova fórmula e passou a ser usada pela oposição nesta segunda-feira, 09 de maio. Tudo porque o partido através do deputado federal Waldir Maranhão (PP - MA) conseguiu cancelar a sessão do #Impeachment da presidente da república Dilma Rousseff na Câmara dos deputados. Conseguiu, mas com efeito nenhum, a não ser um revés na palavra midiática utilizada pela líder petista. A decisão de anular uma votação democrática, perdida com mais de dois terços dos votos por Dilma, também ganhou um paladar "golpista". Na internet, não faltou quem brincasse que estávamos vivemos o "golpe do golpe".

Publicidade
Publicidade

A medida causou uma estranha surpresa de Dilma. Em um evento para lançar universidades, ela pediu "calma" e revelou que existem "manhas e artimanhas" em um processo como esse. Ela disse que ficou sabendo da anulação da sessão assim como os jovens que ali estavam, através do celular. Minutos depois, no entanto, o advogado-geral da união, José Eduardo Cardozo confessou que se reuniu com Maranhão para pedir a anulação do processo. A tática da defesa de Dilma foi chamada de "vergonhosa" pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que nomeou a manobra como "Tática tabajara". Ele também falou que o ato do presidente interino da Câmara era digno de atos circenses. 

Não demorou muito, no entanto, para que o presidente do Senado, Renan Calheiros, falasse que que a essa altura tentar anular a votação do impeachment era brincar com a democracia.

Publicidade

Ele leu o parecer do impedimento, mesmo sob forte pressão de Senadores petistas, como Lindbergh Farias, do Partido dos Trabalhadores. Além da continuidade da sessão do dia 11, que vota o afastamento de Rousseff, Calheiros concordou em votar pela cassação do Senador Delcídio do Amaral, atualmente sem partido. 

O dia que começou aterrorizando muita gente, acabou como data do "choro" nacional daqueles que acreditam veementemente que o melhor é que a presidente Dilma continue no poder. A irritação foi tão grande, mesclada com o clima de recém-euforia, que nesse meio tempo o Palácio do Planalto foi ocupado e desocupado.  #Lula #Dilma Rousseff