No início da tarde desta sexta-feira, 06, a Comissão do impeachment aprovou com 75% dos votos possíveis o parecer do relator Antonio Anastasia, do PSDB de Minas Gerais. Ao todo, votaram 20 Senadores. Desses, 15 foram a favor do relatório e 5 contra. A expectativa era que isso já fosse realmente acontecer. Agora o impeachment será aberto aos 81 Senadores, que votam na próxima quarta-feira, 11. A derrota foi contundente para Dilma, que parece ainda mais enfraquecida nessa reta final. Para que ela seja afastada é necessário 50% mais um dos votos possíveis, ou seja, 41 dos 81 Senadores precisam ser favoráveis ao impedimento. 

13h35 - A previsão é que se o afastamento de Dilma for aprovado, ela já passe a função para o vice Michel Temer na quinta-feira, 12.

Publicidade
Publicidade

Jornais garantem que ela descerá a rampa do Palácio do Planalto como ato simbólico. O afastamento ainda não quer dizer que Dilma deixou de ser presidente. Isso só será votado em até 180 dias, quando o Senado decide pela deposição ou não da líder petista.

13h30 -A admissibilidade do processo de impedimento ainda precisa ser avaliada pelo plenário do Congresso, ou seja, necessita da aprovação da maioria simples dos 81 senadores. O pleito deste momento histórico continua marcado para a quarta-feira, 11.

13h20 - Na TV Senado, um dos presentes na Comissão gritou o 'Tchau, Querida'. Não foi impossível identificar de quem foi o grito, pois a imagem estava aberta.

13h15 - O parecer favorável ao relatório do impedimento foi confirmado

13h10 - O Senador Raimundo Lira, que presidiu a comissão, informou que só votaria em caso de empate.

Publicidade

Por conta disso, o número de votos possíveis aparecia no telão como "21". 

13h - Terminam os pareceres dos partidos. A maioria deles foi favorável ao prosseguimento do #Impeachment e aprovou o relatório de Anastaia.  #Dilma Rousseff