O presidente em exercício Michel Temer bem que tentou, mas avalia-se que seu início de governo está tendo uma propaganda negativa desnecessária por conta da extinção do Ministério da Cultura. De acordo com o colunista Reinaldo Azevedo, do site da Revista Veja, a pasta voltará a ser Ministério já na semana que vem. A data marcada para a "volta dos que não foram" é segunda-feira, 23. Apesar do peemedebista ter transformado a Cultura em Secretaria, até então nenhuma estrutura ou corte de verba havia sido anunciado. Mesmo assim, artistas protestavam com medo do quão ruim o corte de status poderia ser ao longo do tempo.

O setor estaria com um rombo alto, de quase R$ 250 milhões.

Publicidade
Publicidade

O peemedebista deve deixar as contas no azul após o pagamento de cinco parcelas da dívida ao Ministério da Fazenda. Após isso, o possível de novo Ministério estaria livre a criar. O ainda Secretário da pasta é Marcelo Calero, ex-Secretário de Cultura do Município do Rio de Janeiro, que após diversas negativas de mulheres, acabou assumindo o setor. Ele deve ganhar o status de Ministro e também foro privilegiado. Ou seja, ele só poderá ser julgado e investigado com decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Quando Temer assumiu ele precisava mostrar que o Estado estava disposto a ser menor. Por isso, anunciou o corte de Ministério, o que é muito simbólico, mas que só provoca economia mesmo ao longo do tempo. A ideia do peemedebista era fundir novamente o MEC, que até hoje ainda carrega o "C" de Cultura.

Publicidade

O Ministério foi desmembrado ainda no governo de José Sarney, pouco após o fim do período militar no Brasil. 

A mudança de Michel pode ser vista como positiva. Primeiro que mais uma crítica ao seu recém governo vai sendo jogada abaixo. Depois que ele não vai gastar nada mais para voltar a fazer da Cultura um Ministério. Não deu sequer tempo para que lançamentos fossem feitos com o nome de "Secretaria". Basta saber que agora as celebridades vão parar as ocupações que fizeram em todo país. Atos que estavam sendo positivos para Dilma, que ainda sonha em voltar ao governo. #PT #Lula