No fim da manhã desta sexta-feira, 27, o presidente em exercício #Michel Temer divulgou uma nota repudiando o estupro coletivo sofrido por uma adolescente de 16 anos em uma comunidade do Rio de Janeiro. A vítima diz que foi dopada e que acordou nua com 33 homens ao seu redor. A maioria deles fortemente armados, utilizando fuzis e pistolas. Além de convocar uma reunião para discutir medidas de combater a violência, o peemedebista anunciou na nota a criação de um departamento da Polícia Federal para combater a violência contra as mulheres. De acordo com Michel Temer, esse novo departamento vai agrupar informações de todo país, facilitando na identificação de suspeitos que fogem para outros estados após cometerem crimes. 

Na nota, o presidente diz que seu repúdio é veemente e que um absurdo como o crime contra a jovem não pode ser admissível em pleno século 21.

Publicidade
Publicidade

O peemedebista se posicionou um dia depois de Dilma Rousseff, que usou o Facebook para dizer que estava muito triste ao saber do caso. De acordo com o texto enviado pela presidência, o Ministro da Justiça já convocou uma reunião para a próxima terça-feira, 31. Nessa reunião, será discutido que medidas efetivas devem ser tomadas para diminuir/acabar com a violência contra a mulher. 

O estupro da adolescente ocorreu no fim de semana passado, mas passou a viralizar na internet na quarta-feira, 25, quando um dos suspeitos publicou um vídeo exibindo ela desacordada e com o órgão genital machucado e sangrando. De acordo com Michel Temer, o novo departamento da Polícia Federal vai funcionar como a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, quando Temer era Secretário. Ele ainda disse que está mobilizado para punir com rigor o crime de estupro coletivo. 

A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu nesta quarta que o governo brasileiro investigue e faça políticas contra crimes absurdos como esse.

Publicidade

Na imprensa internacional, o Brasil foi comparado à Índia, que teve em 2012 um caso parecido. Uma estudante foi estuprada em um ônibus em movimento. Ela morreu após não aguentar os ferimentos.  #PMDB