O presidente em exercício Michel Temer decidiu neste fim de semana recriar o MinC, o Ministério da Cultura. No entanto, antes disso, muitas polêmicas foram criadas em torno do assunto. Uma das atrizes que polemizou sobre o assunto foi Fernanda D’Umbra, que trabalhou em alguns filmes nacionais, como 'Penetras de Luxo' e 'Confia em Mim'. Ela usou o seu perfil oficial no Twitter para comentar o fato de que muitos seguidores estavam concordando com o peemedebista pelo fato de Michel extinguir o Ministério que cuidada da cultura. Ela teria sido chamada de "vagabunda" por supostamente receber benefícios do Ministério e de leis voltadas para estimular eventos culturais.

Publicidade
Publicidade

É bom dizer que todos esses benefícios são previstos na constituição, portanto, não são ilegais. 

Arrependimento?

Fernanda D'Umbra, no entanto, passou do ponto ao se defender e acabou atingindo milhões de brasileiros que dão duro para conseguir sobreviver, especialmente em um momento que o Brasil passa por uma grave crise política e econômica. “Vagabundo é quem trabalha oito horas por dia para alguém que não gosta em algo que detesta“, publicou ela no microblog de 140 caracteres. Após a má repercussão da postagem, Fernanda decidiu apagar a publicação, não sem antes diversas pessoas terem feito a captura da tela do que ela postou, fazendo a polêmica opinião ganhar muito barulho nas redes sociais. 

A atriz não foi a única a provocar disputa de opiniões  na internet por conta da sua postura.

Publicidade

No início da semana, Sônia Braga e um grupo de atores deram o que falar por conta de um protesto curioso durante o festival de Cannes, na França. O elenco do filme 'Aquarius' aproveitou a sessão de gala do longa, que concorre à 'Palma de Ouro', para exibir cartazes feitos de papel A4 e dizerem que existe um golpe parlamentar no país. A opinião fazia referência ao fato da presidente Dilma Rousseff ter sido afastada por 55 votos pelos Senadores brasileiros. Em seu lugar, entrou o vice, agora chamado de presidente em exercício, Michel Temer.  #Crime #É Manchete!