Na tarde desta segunda-feira, 30, cerca de 50 pessoas fizeram uma manifestação no Morro do Barão, comunidade de Jacarepaguá onde ocorreu um estupro coletivo de uma menina de 16 anos. O grupo usava frases de "Não houve estupro". Desde que o #Crime envolvendo a adolescente foi revelado, a Polícia Civil já fez três operações na comunidade, descobrindo, por exemplo, onde fica a "boca de fumo" do local. Segundo informações do G1, os manifestantes pretendiam ir até à Cidade da Polícia, que fica na região de Manguinhos.

Uma das pessoas entrevistadas por jornalistas negou que o protesto tenha sido uma ordem de traficantes, que estariam com medo dos rumos da investigação.

Publicidade
Publicidade

Ao todo, seis criminosos foram identificados e dados como foragidos pela Polícia. Dois deles já foram presos. Um é Raí Souza, de 20 anos. O estudante do primeiro ano do segundo grau confessou que gravou as imagens e as divulgou na internet. Na sexta-feira, 27, ele chegou na delegacia zombando da situação. O rapaz mandou beijos, acenou e disse que Lucas, namorado da vítima, estaria mais famoso que a presidente afastada da república Dilma Rousseff.

Lucas também foi preso. A polícia ainda não disse qual seria a participação dele no crime que chocou o Brasil. Ele era jogador de futebol do clube Boa Vista, que disputa o campeonato carioca e estava sendo sondado pelo Audax. O jogador era um dos melhores do time. Mais cedo, a Polícia Civil fez uma coletiva na Cidade da Polícia, na qual confirmou ter certeza absoluta que houve um estupro no caso da menina. 

O caso teve grande mudança no fim de semana, quando houve uma troca no comando da investigação, saindo um homem - chamado de machista - e entrando uma mulher.

Publicidade

O homem é o delegado Alessandro Thiers, titular da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, a DRCI. Nesta segunda, o jornal Extra do Rio de Janeiro publicou o que seria uma conversa do delegado por um aplicativo de mensagens. Nessa conversa, ficou claro que ele acreditava que não houve qualquer estupro.  #Investigação Criminal