Raí de Souza, de 22 anos, acabou sendo preso na tarde desta segunda-feira, 30. Ele confessou que gravou e divulgou um vídeo de uma menina supostamente sendo estuprada por mais de 30 homens. O caso ocorreu na semana passado no Rio de Janeiro e chocou o Brasil e o mundo. Raí causou revolta não só pelo vídeo, mas também por ter chegado debochando na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) na última sexta-feira, 27. Nesse dia, ele chegou a dizer que era mais famoso que a Dilma, fazendo uma referência à presidente afastada Dilma Rousseff. Ele também acenou e mandou beijos para cinegrafistas e jornalistas que acompanhavam o caso na delegacia. 

Mais cedo, a Polícia Civil chegou a fazer uma operação no Morro do Barão, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Raí de Souza foi um dos procurados e chegou a ser dado como foragido. Em entrevista ao UOL, ele revelou que se arrepende do #Crime e de ter feito deboche aos profissionais da mídia. Na ocasião, ele chegou ao lado de Lucas Perdomo Duarte Santos, suposto namorado da vítima vítima de estupro na comunidade. A Polícia investiga qual a participação de Lucas no crime. Ele é atleta de futebol do Boa Vista e também é considerado foragido da justiça. A prisão preventiva dele já foi expedida. Atualizado. Lucas foi preso em fragrante de acordo com o UOL.

"É claro que eu me arrependo. Eu nem estava acreditando e ainda não tinha visto o depoimento dela. (...) Não imaginei que ia dar isso", afirmou ele, em referência ao tamanho da repercussão do caso", disse o jovem ao falar do crime. A menina agora deve ir morar em outro estado.

Publicidade

Ela está em um programa de Proteção à Vítima Menor de Idade.  Outros quatro homens também tiveram prisão preventiva solicitada. Informações da Polícia dão conta que a jovem já teria participado de outro estupro coletivo antes, mas que as provas deste são menos contundentes do que a de agora.

O caso é polêmico e despertou a atenção da internet, sendo um dos tópicos mais procurados e discutidos na internet.  #Investigação Criminal