No dia 11 de junho, sábado, aconteceu uma das maiores tragédias da história dos Estados Unidos. Um homem conhecido como Otem Mateen, de 29 anos de idade, invadiu a boate Pulse, no centro de Orlando, Flórida, e assassinou mais de 50 pessoas que frequentavam o local. A boate é conhecida por ser uma dos melhores clubes para homossexuais da cidade, e a história chocou todo o mundo, comovendo famílias, ativistas e membros da comunidade #LGBT. O criminoso foi baleado durante um confronto com a polícia, na saída da boate, e não sobreviveu.

As autoridades da cidade temem que o número de mortos aumente, pois estão hospitalizadas 53 pessoas feridas, e entre elas muitas estão em estado grave.

Publicidade
Publicidade

A prefeitura de Orlando divulgou ontem fotos de alguns dos mortos para identificação das famílias e amigos. Por conta da repercussão da tragédia, autoridades, anônimos e até mesmo celebridades se manifestaram a respeito do ocorrido, das mais diversas formas.

Momentos antes do atentado, a pastora e cantora evangélica Ana Paula Valadão postou uma foto em sua rede social ao lado de um homem comemorando que iriam "ministrar" um culto juntos. Os dois usavam uma roupa típica de casal, na Indonésia, conforme ela mesma escreveu. Em seguida, Ana Paula fez referência à campanha pelo "orgulho hétero", que celebra a dita "família tradicional" defendida por ela e membros de sua religião. A reação dos usuários do Facebook foi de revolta, que invadiram a rede social da pastora contrária aos direitos da população LGBT.

Publicidade

Muitos aproveitaram para postar gifs e imagens de apoio aos homossexuais como forma de protesto

Comemoração e repúdio

Por mais chocante que pareça, muitos chegaram a comemorar a morte das pessoas que estavam na boate. Na internet, foram publicados diversos comentários dizendo que o assassino "fez certo" e que esse é o começo de um suposto "extermínio de gays". Pelo Facebook, uma usuária escreveu que torcia pelo atirador e que ele podia ter "matado mais". Alguns comentários foram apagados pelos internautas, mas outros continuam a ser publicados em diversos sites de notícia, como o G1 da Globo e o R7 da Rede Record.

Ao contrário das pessoas mais conservadoras e que pedem a morte de gays, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se manifestou em uma coletiva de imprensa e classificou este atentado como um dos piores da história do país, e disse ainda que irá agir com força para que não se repita. Assista:

#Crime #EUA