Em Jaú, interior de São Paulo, um homem foi espancado até morrer. Ele é suspeito de estuprar uma menina de apenas 11 anos, e junto ao corpo, a polícia encontrou um documento de identidade e dessa forma pode identificar o homem, que tinha 24 anos. Quando a polícia chegou, ele já estava morto e o corpo abandonado no local onde o #Crime teria acontecido.

É mais um crime de estupro que choca o país e desta vez, como já vem sendo esperado, a população resolveu fazer justiça com as próprias mãos, pois há um grande número de reclamações nas redes sociais dizendo que a justiça é lenta demais e a grande maioria dos estupradores continuam soltos, enquanto as vítimas ficam trancadas em casa, com medo de saírem à rua.

Publicidade
Publicidade

O estuprador de Jaú se chamava Luan Felipe de Oliveira, e tinha uma vasta lista de passagens pela polícia, com acusações de lesão corporal. Os moradores da localidade, ao descobrirem o estupro, espancaram o homem usando pedras e pedaços de madeira, até ele morrer. Quando a polícia chegou ainda encontrou vários populares próximos ao estuprador, já sem vida. Os policiais aprenderam alguns dos pedaços de pau e também as pedras utilizadas para matar o suspeito. Os objetos usados pelos populares acertaram a cabeça da vítima, que veio a falecer.

Cerca de 20 pessoas estão envolvidas no assassinato do estuprador. O responsável pela investigação é o delegado Marcelo Goes, da Delegacia de Investigações Gerais.

A menina violentada agora está melhor, mas ela precisou passar por um exame de corpo de delito e agora o DDM - Delegacia de Defesa de Mulher - está aguardando o laudo e também irá investigar o caso.

Publicidade

A garota também precisou prestar depoimento, juntamente com sua mãe, sendo liberada logo em seguida. A DDM pretende ouvir nos próximos dias, várias testemunhas para tentar entender como o crime aconteceu, pois assim poderá trabalhar para que novos casos não venham a acontecer.

De acordo com as informações obtidas até o momento, a criança estava brincando com suas coleguinhas e próximo ao local, em um bar, estava o suspeito, que ofereceu um refrigerante a elas. Só que o suspeito disse à garota de 11 anos que era preciso ir até sua casa para pegar a carteira, onde estava o dinheiro para pagar o refrigerante e todas elas foram com ele até o local, mas ele pediu aos demais para esperarem em um determinado local, dizendo que só a menina de 11 anos é quem deveria seguir com ele para apanhar a carteira.

Só que ele levou a garota para uma casa abandonada no meio de um canavial e após ameaçá-la, praticou o estupro. Depois de ser violentada, a menina conseguiu sair correndo e pedir ajuda na casa mais próxima, a dona da casa então chamou a polícia, mas os moradores ficaram sabendo do ocorrido, cercaram o homem e o espancaram até a morte. #Violência #Casos de polícia