A passagem da Tocha Olímpica pelo Brasil tem registrado momentos bizarros e de gosto duvidoso. Apesar das demonstrações de cultura de cada região, o estado do Amazonas polemizou ao utilizar animais durante o espetáculo midiático. Um deles foi a onça Juma, morta pouco depois de participar do revezamento. Militares disseram que o animal fugiu do zoológico da região após o evento. Foram utilizados tranquilizantes, mas ele teria tentado atacar uma pessoa. Com isso, um agente utilizou uma pistola e matou a onça Juma. 

Dessa vez, imagens de bum boto-cor-de-rosa ao lado da tocha estão gerando indignação nas redes sociais. O animal aparece em um dos redutos mais conhecidos do turismo da Amazônia.

Publicidade
Publicidade

"Vão matar o boto também? Vocês não cansam de passar vergonha", disse uma pessoa revoltada na internet. O evento chegou a ser publicado pela fanpage oficial da Rio-2015. Na publicação, detalhes sobre como tudo aconteceu. A equipe das Olimpíadas utilizou uma casa flutuante de ecoturismo para chegar até o local onde estavam botos-cor-de-rosa.

O homem que aparece brincando com um dos botos é o pescador de 48 anos, Davi Souza. Ele foi escolhido para carregar o acessório justamente por conseguir lidar com os animais. Com uma das mãos, ele segurava a tocha que estava acesa. Com a outra, lidava com o animal, que não ficou tímido em aparecer nas imagens. 

Além de saber lidar com a espécie rara, Davi montou a primeira casa flutuante da região para o uso de ecoturismo. Ele realiza a chamada "bototerapia", que coloca crianças com deficiência para terem contato com a água e com o animal nos rios da região.

Publicidade

Ao todo, cerca de 30 animais fazem parte do projeto, que é realizado uma vez por mês.  Em entrevista ao site do Rio-2016. o pescador fez questão de dizer que especialistas acompanham o trabalho  para dizer quando a "bototerapia" pode ou não ser feita. O objetivo principal é manter a sustentabilidade.

Os organizadores dos jogos olímpicos não comentaram a repercussão das novas imagens com animais. A entidade chegou a dizer que fatos como a morte de Juma não ocorreriam mais e que foi errado usar um animal nas apresentações da tocha.  #Governo #Rio2016