O mundo acordou nesta quarta-feira, 15, com uma tragédia inacreditável. Um menino de dois anos foi arrastado para dentro de uma lagoa por um jacaré. Ele passava férias com a família em um dos hotéis mais luxuosos da Disney, nos Estados Unidos. Após horas de buscas, o corpo da criança foi encontrado sem vida. De acordo com investigadores, ela teria morrido afogada. O corpo estaria intacto, confrontando a possibilidade dos animais terem devorado a criança. O pai do menino chegou a tentar lutar com o jacaré, mas acabou não recuperando o filho. 

O caso nos Estados Unidos fez uma comunidade da Zona Oeste do Rio de Janeiro ficar temerosa com a possibilidade disso acontecer aqui no Brasil.

Publicidade
Publicidade

O RJTV, da TV Globo, realizou uma reportagem ampla para falar sobre essas chances, que de acordo com especialistas, seriam bem pequenas. Um biólogo lembrou que a espécie que vive nos Estados Unidos é bem maior que a carioca. Na Barra da Tijuca, por exemplo, a espécie mais comum é o "jacaré-do-papo-amarelo". 

Os jacarés na Barra estão aos montes, até mesmo nas ruas. No ano passado, um chegou a ser atropelado no Recreio dos Bandeirantes. O animal se reproduz facilmente nos canais da região. Bichos já foram encontrados nadando em uma piscina e até na porta de um restaurante. O especialista garante que o melhor é não alimentar os bichos, evitando que eles saiam de seu ambiente natural. 

" A nossa espécie é menor então ela não vê o ser humano como uma presa", disse o biólogo. Ele ainda garantiu que é possível conviver normalmente com os jacarés.

Publicidade

Nossa reportagem já esteve algumas vezes em um dos locais que a espécie se prolifera. Em uma delas, até mesmo os moradores estavam espantados por conta do comportamento dos jacarés. Isso porque eles decidiram sair da lagoa e caminhavam livremente nas calçadas.

É comum ainda pessoas disputarem água com os bichos. Isso porque boa parte das tubulações da CEDAE (companhia de água do Rio) passam na beira do lado. Muitas delas apresentam vazamento. E na falta de um recurso natural, o jeito é se arriscar.  #Crime #Investigação Criminal