Um caso de solidariedade comoveu os moradores de Brasília (DF), na última semana. Depois de assaltar uma mulher no ponto de ônibus, um rapaz de 19 anos foi preso, na última sexta-feira (27), por policiais militares que faziam o patrulhamento na região. Ele fingiu estar armado para roubar R$ 48,00 da vítima. Ao ser detido, o suspeito alegou que cometeu o #Crime em um ato de desespero, por estar com um filho de poucos meses de vida em casa e que o bebê estava passando fome e não tinha o que comer.

Desconfiados, os policiais conduziram o rapaz até a própria casa para verificar a situação e ficaram comovidos com o que viram no local.

Publicidade
Publicidade

Dentro da residência de poucos metros quadrados e apenas um cômodo, os PMs encontraram a esposa e o filho do suspeito, de pouco mais de 1 mês. Na casa, não havia nenhum alimento e sequer geladeira para guardar mantimentos. As panelas estavam vazias e a família estava o dia inteiro sem comer. “Não tinha absolutamente nada na casa”, afirmou um dos policiais.

Consternados com a situação da família, os policias cumpriram o dever e encaminharam o jovem até uma delegacia, para que fosse registrada a ocorrência. Nem ele nem a esposa tinham passagem pela polícia. Em seguida, os soldados da Polícia Militar de Brasília foram até um supermercado e compraram R$ 400,00 em alimentos para doar para a família.

Logo em seguida, os policiais voltaram até a casa da família para entregar a doação. Chegando ao local, a mulher ficou muito emocionada e não conteve as lágrimas ao ver os alimentos.

Publicidade

De acordo com a esposa do suspeito, ele trabalhava como vendedor de roupas e perdeu o emprego há poucos meses e, desde então, procurava por um novo trabalho. Já a mulher trabalhava como caixa de um supermercado da cidade e também foi demitida, pouco tempo depois de descobrir que estava grávida do primeiro filho do casal.

O rapaz continua preso, porém, teve a prisão em flagrante convertida em preventiva. A família agora está tentando a ajuda de um advogado para que o rapaz possa responder pelo crime em liberdade. #Casos de polícia