Hospitais geralmente costumam ser ambientes relativamente calmos. É comum, por exemplo, encontrar placas pedindo 'Silêncio' nas unidades brasileiras. No entanto, neste domingo, 19, o barulho, o terror e a dor ocuparam um dos principais hospitais do Rio de Janeiro, o Souza Aguiar. De acordo com informações da Rádio Band News, por volta de 3h da madrugada, pacientes do local viveram um filme de terror. 15 criminosos invadiram o hospital para salvar um traficante conhecido. Ele estava internado na unidade e seguiria para a cadeia depois da recuperação. 

De acordo com o jornal Extra, o grupo chegou ao local fortemente armado.

Publicidade
Publicidade

Os criminosos utilizaram granadas contra os profissionais de segurança. Tiros também foram trocados em um local onde geralmente as pessoas se tratam de doenças. O Souza Aguiar é uma referência no setor de emergência e costuma atender os casos mais graves de toda a região, já que fica no Centro da cidade. O Extra e a Band confirmam a morte de pelo menos uma pessoa na ação, um oficial da Marinha. Ele estaria próximo à unidade, quando foi vítima dos disparos. Ele faleceu no local. 

Outras duas pessoas ficaram feridas. Uma delas é um Policial Militar, a outra um enfermeiro que supostamente cuidava do criminoso que foi resgatado. A Polícia diz que o bandido é irmão do traficante My Thor, um dos mais procurados. O paciente conseguiu fugir com o grupo de bandidos. A Polícia agora tenta recuperar o bandido que estava em seu poder e também os outros que participaram da iniciativa.

Publicidade

Durante toda a manhã, a hashtag 'Souza Aguiar' ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. Internautas se mostravam espantados com a ousadia dos bandidos. "Absurdo saber que não existe um único lugar seguro nessa cidade", disse um usuário do microblog de 140 caracteres. 

Uma pessoa entrevistada pelo Extra viu toda a ação. Ela pediu que seu nome não fosse identificado. Segundo a fonte, criminosos portavam fuzis e trocaram tiros na unidade. Um dono de uma carrocinha de lanches chegou a ser usado como escudo. Ele foi liberado e passa bem.  #Crime #Investigação Criminal