De acordo com o portal de notícias G1, três policiais militares foram assassinados a tiros no início da noite desta quinta-feira, 30, no município de Quixadá, no interior do Ceará. Segundo os agentes de segurança, apenas neste ano, quatorze policiais foram assassinados no estado nordestino. Os policiais foram mortos em pleno trabalho, quando trocavam tiros com bandidos no bairro de Juatama. 

Outro policial sofreu um grave ferimento na perna, mas conseguiu ser levado com vida para o hospital da região. De acordo com os médicos, apesar de grave, o ferimento não oferece risco de morte ao policial militar. Os criminosos estariam com armas de grosso calibre, enquanto os agentes de segurança usavam apenas pistolas.

Publicidade
Publicidade

O terceiro policial que morreu também chegou a ser socorrido, mas não sobreviveu. Ele faleceu no hospital municipal da cidade.

 

Em nota enviado ao portal de notícias G1, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) afirmou que realmente as mortes ocorreram, mas preferiu não dar detalhes da operação. O que se sabe é que as patentes dos homens assassinados estão divididas em sargento, soldado e cabo. Os nomes deles, no entanto, não foram revelados. Alguns sites locais, no entanto, já não só fizeram a divulgação das imagens dos supostos assassinados, como também os identificou. 

Além de matarem os policiais, os bandidos fugiram carregando outros dois agentes da PM como reféns. O sequestro, no entanto, teve fim alguns quilômetros depois da região onde ocorreu o #Crime. Os agentes foram liberados em uma estrada e os policiais passam bem.

Publicidade

A Polícia agora tenta dar uma resposta efetiva à criminalidade. Até um helicóptero está sendo utilizado nas buscas dos bandidos. 

A força de segurança local também pede ajuda para quem possa ter qualquer informação que leve aos criminosos. Sites locais publicaram fotos que mostram uma verdadeira multidão no hospital da região, onde os corpos dos mortos e o policial sobrevivente foram levados. Famílias lamentavam as perdas no local.  #Investigação Criminal