Nesta quinta-feira, 09, a segurança do Aeroporto Internacional de Campo Grande, do Mato Grosso do Sul, ficou espantada com um grupo formado por centenas de pessoas que esperavam a chegada do deputado federal Jair Bolsonaro, eleito pelo PSC do Rio de Janeiro. Ele desembarcou no local vinte minutos antes da hora, mesmo assim, acabou sendo recepcionado por cerca de 350 pessoas, que chegaram cedo para vezem o político que admiram. Bolsonaro é um político polêmico. Odiado por muitos, mas também, como podemos ver na manifestação realizada em Campo Grande, tratado como "herói" por outros. 

Alguns simpatizantes usavam até camisetas com o rosto de Bolsonaro, enquanto outros gritavam "bolsomito", um apelido carinhoso colocado no parlamentar, que nos últimos meses tem criado a chamada direita "light'.

Publicidade
Publicidade

O político tem se aproximado até mesmo de grupos homossexuais depois de ser acusado de homofobia. Tudo pensando na pré-candidatura à presidência. Entre janeiro e abril, o político foi de 4 para 8% nas intenções de votos. 

Para conseguir passar pelo saguão do aeroporto, Jair precisou ser erguido nos ombros pelo filho, Eduardo, que também é deputado. Ali, nos braços do "povo", ele fez críticas ao Partido dos Trabalhadores (PT) e à presidente afastada Dilma Rousseff, que luta contra um processo de impeachment no Senado Federal. “A população precisa extirpar o PT da política. Essa facção criminosa que ainda não deixou o poder', disse o político sendo muito aplaudido e ovacionado.

Bolsonaro ainda disse em Campo Grande que as policiais de todo o Brasil precisam ter mais autonomia do estado para agir, dizendo que hoje os policiais tem até medo de realizar seu trabalho.

Publicidade

Recentemente, um caso envolvendo policiais de São Paulo chamou a atenção do país. Depois de dois meninos roubarem um carro, os agentes perseguiram a dupla e trocaram tiros (versão da PM). O menino menor da dupla, de 10 anos, faleceu com um tiro na cabeça. O sobrevivente nega que o amigo tenha atirado nos policiais, mas testemunhas confirmam a posição oficial.  #Governo