Nesta quinta-feira, 16, mais um dia de grandes revelações na política, uma pesquisa eleitoral feita pelo 'Instituto Paraná Pesquisas' quase passou desapercebida por muitas pessoas. Realizada em 24 estados do país, a pesquisa aponta que a maioria dos brasileiros não concorda ou acredita que existe um 'Golpe Parlamentar' no país. 67% dos que responderam às perguntas do 'Instituto Paraná Pesquisa' dizem que o golpe é uma 'lorota', não existe. Pelo jeito o marketing da presidente afastada Dilma Rousseff e do Partido dos Trabalhadores (PT) não está funcionando. 

Os números surpreenderam até a equipe do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB.

Publicidade
Publicidade

Isso porque ele está há pouco mais de um mês no governo. Pesquisas feitas no meio de crises ou em inícios de novos rumos costumam trazer uma rejeição maior ao novo, o que parece não ter ocorrido sobre a mudança na presidência. Apesar disso, nenhum político, nem mesmo Temer, foram bem avaliados. O que demonstra uma grande descrença da população com o que ocorre no país. 

Apenas 29% dos brasileiros concordam que há algo estranho no território nacional. Para eles, #Michel Temer inventou crimes contra Dilma só para chegar ao poder. Outros 4% ficaram em dúvidas sobre como responder. Com o tempo, a tendência é que o grupo que não acredita no 'golpe' possa aumentar. Isso porque o processo contra Rousseff está sendo bem longo, o que demonstra uma real preocupação para que haja defesa, diferente do discurso que Dilma tem feito. 

Sobre outros assuntos os brasileiros mostram-se completamente indiferentes.

Publicidade

45% acreditam que Temer fará a economia ficar tão ruim quanto está. Outros 33% estão mais esperançosos e preveem melhoras, enquanto outros 19% dizem que tudo vai piorar. Inflação, desemprego, falta de segurança e saúde são os maiores problemas apontados pelos entrevistados. 

A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 14 de junho, envolvendo mais de 19 mil pessoas na maioria dos estados. Outros números mostram que não há um favorito na corrida eleitoral.  #Dilma Rousseff