Um menino de nove anos de idade, portador de necessidades especiais, usando uma cadeira de rodas para se locomover, teria sido estuprado por outras crianças da Escola Municipal Gabriel Cavalcante. A instituição de ensino fica no bairro Presidente Kennedy, uma região podre da capital do Ceará, Fortaleza. De acordo com uma reportagem do 'Estado de São Paulo' publicada nesta terça-feira, 14, a  Delegacia Especializada no Combate à Exploração da Criança e dos Adolescente está à frente das investigações sobre o caso. O garoto está na segunda série do ensino fundamental, agora conhecida como terceiro ano. 

A primeira audiência para ouvir os pais da criança já acontece nesta terça.

Publicidade
Publicidade

Além deles, a diretoria da Escola Municipal também será ouvido. A Polícia tenta entender o que aconteceu com o menino deficiente. O caso ficou conhecido da Justiça através da própria família da criança, que entrou em contato com o Conselho Tutelar. Para proteger a vítima, o nome dessa não foi revelada. O menino estava há três anos estudando no local. O estupro coletivo teria ocorrido no dia 06 desse mês. A suspeita é que crianças entre 9 e 11 anos tenham abusado sexualmente do deficiente. 

De acordo com 'O Estado de São Paulo', a apuração está sob sigilo. A Polícia justifica que o sigilo é para evitar que a apuração possa ser atrapalhada. O caso ganhou muita repercussão na região. Segundo fontes, o menino passou por um exame de Corpo de Delito no Instituto Médico Legal (IML) da região. O local teria constatado os abusos sexuais. 

"Meu menino toma remédio controlado e com o estupro tivemos que aumentar a dosagem", disse o pai da criança emocionado à jornalistas.

Publicidade

De acordo com ele, o filho sofria comentários maldosos contantes na escola, o famoso bullying. Os pais do deficiente dizem que cinco meninos teria estuprado o filho. Um menino segurou a boca da criança para ela não gritar, enquanto os outros realizaram os atos sexuais. Os pais informaram o caso para a diretora da escola, que não teria acreditado na situação.  #Crime #Investigação Criminal