De acordo com a delação premiada do empresário Benedito Oliveira Neto, o Bené, o Partido dos Trabalhadores (PT) estocou dinheiro vivo e sujo em uma quitinete localizada próxima à residência oficial do presidente da república, Brasília. O dinheiro, de acordo com uma reportagem do 'Diário do Poder' publicada nesta sexta-feira, 03, teria sido arrecado através do chamado "caixa dois", quando um montante não é declarado, mas usado nas campanhas eleitorais. Pela legislação brasileira, o uso de dinheiro não declarado durante o pleito é #Crime eleitoral e pode geral até a impugnação da chapa de um candidato ou o cancelamento do diploma de um vencedor, fazendo este sair do poder.

Publicidade
Publicidade

O dinheiro era para abastecer a campanha eleitoral de Fernando Pimental pelo governo estadual de Minas Gerais e foi utilizado em 2014, mesmo ano que a presidente afastada Dilma Rousseff tentou a reeleição e venceu. O delator da questão, Bené, era uma espécie de braço direito das contas de Pimentel. Ele tem feito denúncias para conseguir uma redução da pena, após ser investigado na Operação Acrônimo.

Na quitinete, segundo Bené, foram estocados R$ 12 milhões em dinheiro vivo. Boa parte do dinheiro teve participação da empresa JHSF, em São Roque. O delator diz categoricamente que foi a JHSF quem pagou o caixa dois da campanha de Pimentel. De acordo com Bené, a forma como o dinheiro foi escondido da receita federal foi através de simulação para a realização de uma pesquisa Vox Populi.

Publicidade

A participação do Instituto de Pesquisa eleitoral também é investigada. 

O governador de Minas Gerais disse através de nota enviada pelo seu advogado à imprensa que o que está se vendo é apenas uma delação e que essa não foi provada. O profissional da imprensa disse ainda que é ilegal esse tipo de divulgação na primeira parte da investigação e que o depoimento pode até ser invalidado. Pimentel alega que o principal objetivo da revelação do depoimento é mexer com a opinião pública, tentando desqualificá-lo.  

Já a empresa dita como pagadora do caixa dois disse que recebeu a notícia com surpresa e que tudo o que fez estava na forma da Lei. O Instituto de pesquisa citado na matéria não comenta delações. #PT