O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) e filho do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foi vítima da violência do Rio pela segunda vez nesse ano. Carlos conta que quando voltava para sua casa na tarde de terça-feira, 28, foi abordado por um meliante que exigia um cordão ou uma aliança. Como ele não possuía nenhum dos dois bens, o bandido disse que iria 'fazer um buraco em sua cara'.

O vereador então se recordou que tinha dinheiro no bolso da calça e entregou ao meliante, que evadiu-se do local em seguida. Carlos comentou o ocorrido em uma rede social sob a frase de indignação: 'Deus mais uma vez, mas até quando?'

#Violência no Rio atinge até os políticos

Carlos Bolsonaro teve seu táxi alvejado por tiros de criminosos no começo desse ano.

Publicidade
Publicidade

Na época, estava ocorrendo um assalto nas proximidades do veículo em que ele se encontrava e, ao arrancar com o automóvel, o carro foi atingido por tiros.

Em abril desse ano, o irmão de Carlos, o deputado estadual Flavio Bolsonaro (PSC-RJ), trocou tiros com bandidos no Rio. O parlamentar, que possui porte de arma, reagiu à abordagem dos criminosos.

Já mais recentemente, no dia 22 de maio, um domingo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) teve seu carro furtado. O deputado chegou a gravar um vídeo para divulgar nas redes sociais, mostrando que os criminosos adentraram o veículo e furtaram o estepe. O #Crime aconteceu em São Paulo, estado onde o deputado mora.

Projetos de lei

Carlos e seus familiares políticos, incluindo Jair Bolsonaro, defendem leis mais rígidas para os criminosos.

Publicidade

Jair possui uma Proposta de Emenda Constitucional apresentada em 1996 que reduz a maioridade penal para dezesseis anos, além de contar com um projeto de lei, sugerido por Flavio Bolsonaro, que aumenta as penas para estupradores e coloca a castração química como uma condição para que o condenado avance para o regime semi-aberto.

No referido projeto, a castração não é uma imposição, mas sim uma condição. Caso o criminoso não aceite fazê-la, permanece em regime fechado para cumprir o restante da pena. #Câmara dos Deputados