Uma novela sem fim. Essa é a relação entre a prefeitura de Caruaru e o cantor sertanejo/forrozeiro Wesley Safadão. Ele realizou um show durante o 'São João' da cidade nesse fim de semana cercado de muita polêmica. Em plena crise econômica e na seca do Nordeste, o #Governo local decidiu pagar R$ 575 mil pelo show do artista. Durante a apresentação, Safadão chegou a dizer que cantaria ali até mesmo de graça e que "o problema do Brasil" não era seu. No palco, ele informou que ele e seu empresário não ficariam com um centavo da festa. De acordo com Safadão, todo o dinheiro seria revertido para instituições de caridade da região. 

No entanto, de acordo com o 'Jornal do Comércio', em reportagem publicada nesta segunda-feira, 27, a Prefeitura decidiu que não vai mais pagar pelo show do artista.

Publicidade
Publicidade

A informação já pode ser observada no site da Fundação de Cultura de Caruaru. Segundo o comunicado, o empenho que pagaria o cantor, de número 462, foi cancelado. Com isso, ele não poderá reverter o dinheiro para qualquer instituição, a não ser que a própria prefeitura da cidade decida mudar novamente de decisão e fazer essa história ficar ainda mais longa. 

Wesley também fez outros shows na região, mas a preço bem menor, o que aumentou ainda mais a polêmica em torno do assunto. O show de Campina Grande, na Paraíba, teria saído por menos de R$ 300 mil. A Fundação que contratou o sertanejo chegou a dizer que o cachê alto era motivado pelo fato dele cantar no dia mais prestigiado da região, o 'São João' e em um sábado. 

O sertanejo é hoje considerado o cachê mais alto do país. Para muitos moradores da região, a prefeitura de Caruaru poderia fazer a festa, mas apostando em artistas locais, o que levaria dinheiro para a própria cidade.

Publicidade

"A gente não tem nada contra o cantor, porque ele está fazendo o trabalho dele. Por mais caro que ele cobra, o cachê é dele e ele coloca o preço que quiser, mas a gente tem problemas de segurança, educação e saúde. Esse dinheiro foi 'torrado' de maneira muito rápida", disse uma moradora.  #Impeachment