A emissora de TV americana CNN, um gigante midiático com grande influência nos EUA e no mundo, publicou nesta sexta-feira (3), em seu site, uma reportagem especial questionando a capacidade do Brasil de sediar os jogos olímpicos. A manchete da reportagem é "Uma crise depois da outra", seguida de três fotos: um rapaz pintado com as cores do Brasil em uma manifestação, um bebê com microcefalia e um mosquito aedes aegypti. O especial foi preparado para a internet e para a TV por sete repórteres sediados tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, e é dividido em quatro partes: "Olimpíadas 2016: a tempestade perfeita", "Rio de Janeiro é atingido por série de tiroteios às vésperas dos jogos olímpicos", "Lixo é obstáculo para velejadores olímpicos da Rio 2016" e uma página com cobertura em tempo real dos últimos acontecimentos envolvendo a epidemia de zika e as olimpíadas.

Publicidade
Publicidade

"Olimpíadas 2016: a tempestade perfeita"

Na primeira matéria, os repórteres Tom McGowan, Lauren Said-Moorhouse, Shasta Darlington, Ivan Watson e Vasco Cotovio dizem que "os jogos olímpicos desembarcam em um País devastado pela crise. A apenas dois meses do acendimento da pira olímpica, o primeiro anfitrião sul-americano dos jogos está às voltas com uma emergência na saúde pública, um colapso governamental e problemas econômicos". A matéria é acompanhada de infográfico e linha do tempo explicando a confusão política, social, sanitária e econômica enfrentada pelo País. Veja um dos vídeos produzidos para a TV:

"Rio de Janeiro é atingido por série de tiroteios às vésperas dos jogos olímpicos"

A segunda matéria tem como foco a onda de violência que atingiu as comunidades do Rio de Janeiro nas últimas semanas.

Publicidade

A emissora diz que quando os tiroteios têm início nas favelas cariocas, alguns moradores se protegem nos banheiros de suas casa ou embaixo de escadas. Mas o técnico da seleção alemã de vela olímpica, Max Groy, não teve estas opções quando precisou se proteger de uma troca de tiros na cidade enquanto abastecia seu barco. "Foi surreal, coisas que você vê apenas em filmes", disse o treinador à CNN. Os repórteres dizem que tiroteios são parte do dia-a-dia da cidade olímpica.

"Lixo é obstáculo para velejadores olímpicos da Rio 2016"

A matéria sobre os problemas da Baía de Guanabara é assinada por um dos mais prestigiados correspondentes internacionais da CNN, o jornalista Ivan Watson. O texto traz uma entrevista com velejadoras da seleção olímpica alemã, que reclamam de serem obrigadas a desviar de objetos flutuantes que podem "danificar o barco ou diminuir seu ritmo".

A crise em tempo real

O leitor americano que ainda não desistiu de vir ao Brasil após ler sobre todas as tragédias nacionais chega à última página do site com a possibilidade de acompanhar, minuto-a-minuto, os problemas enfrentados pelo País na luta contra o vírus do zika e o impacto da epidemia nos jogos olímpicos.

Publicidade

O site é constantemente atualizado para manter os internautas bem informados... e o mais longe possível da Rio 2016. #Rio2016 #Crise no Brasil