Mais um crime bárbaro chocou os cariocas nesta quarta-feira, 29. De acordo com informações do jornal carioca Extra, um cadáver esquartejado foi encontrado em um dos principais pontos turísticos da cidade, a praia de Copacabana, na Zona Sul carioca. A informação teria sido confirmada ao jornal pelo batalhão da área, o 19º BPM. De acordo com os policiais, não dá para saber de quem pertenceria o corpo encontrado, nem mesmo se seria de homem ou mulher. Por conta disso, peritos foram enviados ao local. Uma multidão estava em volta do corpo assim que ele foi encontrado na praia. 

O batalhão policial de Copacabana confirmou ainda que o cadáver foi encontrado perto de uma das mais populares arenas dos jogos olímpicos da cidade.

Publicidade
Publicidade

No local, serão realizados os jogos do vôlei de pria. A arena ainda está em construção, como você pode ver pela foto estampada na matéria. Por enquanto, apenas o esqueleto da obra pode ser visto. É bom lembrar que a arena do vôlei de praia é provisória. Ela é montada e desmontada apenas para o evento que será realizado em agosto na cidade. 

O caso do corpo esquartejado ficará agora com a Polícia Civil, que acionará a sua  Divisão de Homicídios (DH). Além de tentar identificar o sexo do cadáver, os peritos terão a tarefa de saber outras informações que possam encontrar a identidade do mesmo, além da família. A partir daí, talvez conseguir entender como a pessoa teria sido morta em um caráter tão estranho e cruel. 

Um ambulante entrevistado pelo jornal Extra enviou informações de como estava o local até o fechamento da matéria.

Publicidade

De acordo com ele, banhistas retiraram os restos mortais da água. Não demorou muito para a guarda municipal chegar ao local, já que muitos populares começaram a se organizarem em volta do cadáver. Depois da chegada da guarda, quem também apareceu na praia de Copacabana foram representantes da PM. "- Já havia muita gente em volta do corpo. Tinha gente até achando quer era brincadeira", revelou o ambulante sobre a falta de crença dos banhistas com o que havia acontecido.  #Crime #Investigação Criminal