O Governo Dilma, aparentemente, ainda está longe de acabar.

Mesmo com a repercussão dos últimos acontecimentos com relação à barragem ofensiva de Moro e da PF sobre os 100 maiores da Lei Rouanet e demais ocorridos em todo o processo de #Impeachment, a presidente afastada, Dilma Rousseff, fez questão de conceder uma entrevista exclusiva à Mariana Godoy, jornalista da emissora Rede TV!, para comentar sobre sua situação e outros fatos.

A entrevista, transmitida no sábado (11), também repercutiu algumas das principais falas de Dilma em sua conta no Twitter.

O primeiro comentário feito pela presidente afastada foi com relação ao momento atual, "A lei é inadequada.

Publicidade
Publicidade

O processo de impeachment está previsto na Constituição, mas com crime de responsabilidade". De tal forma, a presidente afastada quer afirmar que todo o processo de impeachment que está sofrendo não é justo e está ocorrendo de forma contrária ao que diz a lei.

Ainda, Dilma fez questão de enfatizar que toda a situação é um absurdo, pois seu afastamento deu-se sem ao menos ocorrer uma análise do caso. Afirmando, ainda, que seu mandato deve ser retomado o quanto antes, pois tal fato é imprescindível para dar continuidade ao seu trabalho.

Dilma reforçou, para Mariana Godoy, que o atual impeachment nada mais é que um "golpe", visto que sua retirada do poder nada mais seria do que uma quebra da legalidade e uma tentativa de manter o regime democrático.

Publicidade

Em tom de indignação, Dilma Rousseff deixou claro que as atuais pessoas que estão no comando do país não chegaram lá por mérito, pois nem ao menos tiveram votos para tal.

Em outros momentos ela aproveitou a entrevista para comentar sobre Lula e #Eduardo Cunha. Sobre o ex-presidente, Dilma buscou enfatizar que as gravações vazadas, durante a investigação da Lava Jato em meses anteriores, foram totalmente ilegais, e, que, em qualquer outro país, isto seria motivo suficiente para prender os autores do vazamento. A respeito de Cunha, a presidente afastada fez questão de afirmar: "Eduardo Cunha é de direita, conservador e sem princípios éticos sólidos".

Por fim, Dilma falou sobre as Olimpíadas e sobre a necessidade de estar presente na abertura dos jogos.

Publicidade

"Nunca alguém mereceu tanto estar na abertura das Olimpíadas", afirmou a presidente.

#Dilma Rousseff