A Presidente afastada Dilma Rousseff, que representa o Partido dos Trabalhadores (PT), já tem uma maneira para custear as tão caras viagens que realiza pelo país. A equipe da petista está pensando em lançar um "crowdfunding", uma espécie de "vaquinha" realizada pela internet. A informação foi confirmada nesta terça-feira, 21, pela jornalista Mônica Bergamo, da 'Folha de São Paulo'. Bastou a publicação ser realizada para que uma campanha ganhasse a web insinuando maneiras como a presidente poderia viajar. Um dos internautas que parece não gostar muito da presidente afastada sugeriu: "Vá de carroça, porque com meu dinheiro você não vai ficar passeando por aí". 

A estratégia da presidente Dilma tem a ver com o fato de até o Partido dos Trabalhadores estar achando que ela vem gastando muito para viajar.

Publicidade
Publicidade

Em comícios por todo o país, a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva luta contra o impeachment. Ela usa, de acordo com a 'Folha de São Paulo', pelo menos dez assessores em suas viagens. Inicialmente, quem bancava toda a conta era o Palácio do Planalto. No entanto, a equipe chefiada pelo presidente em exercício Michel Temer, do PMDB, decidiu revogar alguns dos direitos da petista.

Através de um comunicado da Casa Civil, Rousseff ficou sabendo que não poderia, por exemplo, usar os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para viajar em destinos que não envolvam os estados do Rio Grande do Sul e o Distrito Federal. Isso porque Temer entende que Dilma more nos dois locais. A equipe do peemedebista tem evitado também pagar custos de diárias, mas por enquanto os cortes nessa área não tem sido tão fortes. 

Nesta segunda-feira, 20, Rousseff deveria comparecer a um evento em São Paulo para lançar um livro em que diz que o impeachment é um golpe de estado.

Publicidade

No entanto, ela acabou não indo ao local, frustrando muitas pessoas que só tinham ido ao local para vê-la. A ordem é apertar os cintos, já que empresas pararam de contribuir com o partido e com o Instituto Lula.  #Dilma Rousseff