Nesta semana, duas notícias envolvendo a presidente afastada Dilma Rousseff irritaram muitos dos seus seguidores. A primeira foi a proibição dela fazer viagens pelo Brasil utilizando os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). A segunda foi um corte envolvendo o "cartão suplemento" no Palácio do Alvorada, residência oficial do presidente. Com o corte, a equipe da petista ficou sem poder comprar comida, deixando as dispensas do local vazias. Agora o #Governo do presidente em exercício #Michel Temer estuda em como acabar com diversas "mordomias' da petista. 

De acordo com a jornalista Vera Magalhães em reportagem publicada neste domingo, 05, Dilma tem à sua disposição uma equipe invejável, cerca de 200 funcionários.

Publicidade
Publicidade

Todos, é claro, pagos com dinheiro do governo federal. Isso sem falar na equipe do PT que a acompanha. Entre os funcionários, jardineiros para deixar o Palácio da Alvorada mais bonito, camareiras afim de deixar o quarto de Rousseff arrumado, além de garços, copeiros e até fotógrafos. Afinal, Dilma ainda é uma chefe de estado e gosta que os eventos em que participa sejam catalogados. 

É claro que na lista de funcionários também existem os assessores políticos. São eles que dizem à Dilma qual é a polêmica do momento, o que está gerando mais repercussão na internet e qual o melhor ponto para criticar Temer. Tudo é feito pensado, tendo o objetivo, é claro, de tentar ajudar a presidente afastada a voltar ao governo. A equipe da petista acredita que os erros do governo do presidente Michel Temer podem provocar uma reviravolta de votos no Senado.

Publicidade

O Senador Romário Farias, do PSB do Rio de Janeiro, por exemplo, já confessou que pode mudar seu voto. 

Dos 200 funcionários de Dilma, 7 estão no escritório dela em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. 160 estão à disposição no Palácio do Planalto e poderiam servir também a Temer, caso ele vença o impeachment contra Rousseff. O restante do staff da petista está localizado na Granja do Torto. Temer agora estuda como reverter e demitir alguns desses funcionários, assim como já limitou os voos de Dilma.  #Dilma Rousseff