Foi determinado pela juíza Daniela Dejuste de Paula que 20% do dízimo recolhido todos os dias nos cultos da #Igreja Renascer em Cristo, do templo que fica na Zona Sul de São Paulo, no bairro do Cambuci, serão para indenizar a vítima do desabamento que ocorreu em 2009. Na época, nove pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas. O advogado da igreja, Roberto Ribeiro Junior, disse que já havia um acordo entre a denominação evangélica e a vítima no valor de 26 mil reais, porém ainda não havia sido formalizado.

A Igreja Renascer foi condenada a pagar 10 mil reais por danos morais à vítima. Como a denominação não fez a indenização, a juíza mandou que fossem penhorados do caixa da igreja o valor de 27 mil reais.

Publicidade
Publicidade

Como não foram encontrados bens para a penhora, a juíza Daniela determinou a penhora do dízimo.

O advogado da vítima informou que nenhuma das pessoas acidentadas foi indenizada, e que o objetivo era que todas elas recebessem o mesmo valor. Ele ainda relatou que muitas destas pessoas passam necessidades e precisam do dinheiro. A magistrada informou que as ofertas dos fiéis da denominação devem suprir essa divida que a igreja tem com as vítimas, e que a penhora vai ocorrer até que todas as despesas sejam sanadas.

Ela também instituiu uma perita para acompanhar a arrecadação de oferta na igreja para garantir a penhora do dízimo feita diariamente durante cultos religiosos.

Relembre o caso

A Igreja Renascer havia feito, em 2009, uma reforma irregular no telhado do templo que acabou desabando durante o culto.

Publicidade

Nove pessoas morreram e mais de cem ficaram feridas. Os dirigentes da igreja garantiram que o alvará de funcionamento estava em dia. Houve especulações sobre a possibilidade de cupim na estrutura de madeira do telhado, porém há relatos que o telhado estava com problemas desde 2008 e que por uma semana foi necessário fazer os cultos no lado de fora da igreja. Desde então, sete anos se passaram e ninguém foi indenizado, motivo pelo qual fez com que a Juíza Daniela tomasse a atitude de penhorar uma parte dos dízimos arrecadados. #Religião