A cidade de Imbituba, em Santa Catarina, ficou conhecida no Brasil e no mundo como sendo o lugar onde ocorreu o primeiro milagre atribuído à Madre Paulina, em 15 de dezembro de 1865. O milagre foi reconhecido pelo Vaticano em maio de 2002, época em que a mesma foi canonizada por João Paulo II.

Em breve, a cidade deverá tornar-se o destino turístico de fiéis de todo Brasil. Um projeto de engenharia desenvolvido pela prefeitura municipal pretende construir uma estátua com 45 metros de altura em homenagem à Santa Paulina.

De acordo com o prefeito Jaison Cardoso, a estátua estará entre as mais altas do mundo, ultrapassando até mesmo o Cristo Redentor, que mede 40 metros de altura.

Publicidade
Publicidade

A obra custará aos cofres públicos mais de R$ 5 milhões e será custeada pela gestão municipal.

O projeto está em pauta há mais de 10 anos e a realização da obra sempre encontrou muita resistência, tanto parte da população local quanto por políticos da oposição. O secretário de turismo, Paulo Sefton, se defende: “Todo projeto tem seus prós e contras. Na cidade, há pessoas pertencentes à diversos segmentos religiosos, por isso essas mostram-se contrárias à realização do projeto, mas a obra está voltada para a #Religião católica e o investimento será para atrair o turismo de fiéis, gerando emprego e renda para a cidade onde mais 90% dos moradores afirmam ser católicos''.

Para o prefeito, investir no turismo religioso é um ótimo negócio.''Hoje em dia o segmento religioso é um dos que mais cresce no Brasil. Somente em 2015 o comércio de viagens e venda de imagens de santos ultrapassou os R$ 18 milhões, segundo o Ministério do Turismo'', explica o chefe do executivo.

Publicidade

''Acreditamos que o projeto deverá atrair visitantes em massa nos próximos anos. Cada visita turista vai trazer lucro para o comércio, gerando mais emprego e renda para população local. Além do mais, este destino turístico poderá ser visitado o ano inteiro'', conclui.

Embora a obra deva tornar-se um dos destinos prediletos para os devotos de Santa Paulina, a realização do projeto está gerando muitas desavenças. O projeto vai na contramão dos crédulos e não é bem aceito entre os representantes de outros segmentos religiosos. Evangélicos, por exemplo, não costumam adorar imagens de santos.

Para os representantes da Assembleia de Deus, o investimento poderia ser utilizado em outras necessidades como obras de infraestrutura, reformas de escolas e creches, melhoria nos postos de saúde, entre outros.

A população católica, maioria na cidade, também acredita que as prioridades da gestão municipal deveriam ser outras. Mas, para a irmã Ana Tomelin, coordenadora do Santuário de Santa Paulina, na cidade de Nova Trento, o monumento será criado para que os fiéis expressem a sua fé, e todos que acreditam em Deus serão bem recebidos, independente de sua crença. #Dicas #Curiosidades