O corpo da adolescente Kelly Giselle da Silva foi enterrado nesta quinta (30), no cemitério Vale da saudade. A menina foi assassinada com mais de 10 tiros que atingiram as suas partes intimas. Ela foi encontrada morta nesta terça (28) em uma estrada de Queimados, no bairro de Vila Grande-RJ, onde foi deixada dentro de uma mata perto da linha férrea.

Na manhã desta quarta (29), a família da jovem ainda aguardava a liberação do corpo pelo IML de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Muito emocionado, o pai de Giselle não quis se pronunciar, mas, pelo que os parentes relataram, o #Crime pode ter sido cometido por um ex-namorado da vítima.

Publicidade
Publicidade

Segundo a Divisão de Homicídios, não haviam evidências de violência sexual no corpo da adolescente e nem hematomas, havia apenas os tiros que levaram a menina à #Morte. Ao todo, foram mais de 10, que atingiram a vagina de Giselle, seus braços e coxas.

Segundo o delegado responsável pelo caso, embora os ferimentos de tiros no corpo, as roupas da jovem estavam intactas.

Há um mês, Kelly havia divulgado, em seu perfil de rede social, a sua possível gravidez. Entre os comentários, os amigos a parabenizavam e ela se mostrava muito feliz com a gestação. Como ela ainda não apresentava barriga de gestante, a Polícia Civil pediu um laudo do IML, que ainda está sendo aguardado para tal confirmação.

O ex-namorado, apontado pela família de Kelly, prestou depoimento e confirmou que ele não estava mais junto com a moça.

Publicidade

Ainda disse que tinha encontrado com ela um dia antes da sua morte, mas, no dia, ele que é militar, estava no quartel.

Ainda em depoimento, o ex-namorado contou que, no passado, Kelly chegou a se envolver com um traficante perigoso da cidade que saiu da prisão há poucos dias.  Para a polícia, o militar, que ainda é investigado, confirmou a gravidez.

Além do namorado, os familiares da jovem também foram ouvidos. Segundo eles, o namoro dela com o militar era cheio de altos e baixos, com muitas brigas. Para a polícia, ainda não foi descartada a possibilidade do envolvimento do rapaz no crime. #Casos de polícia