O narrador, apresentador e jornalista ficou com o nome sujo na Praça em São Paulo. A informação foi dada com destaque nesta quinta-feira, 23, pelo UOL. O portal de notícias diz que a prefeitura de São Paulo inseriu o contratado da TV Globo como um dos endividados com o município. Tudo porque ele teria supostamente esquecido de pagar o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano). O narrador aparece como um dos donos de um imóvel na região nobre de São Paulo, o bairro do Morumbi. 

O advogado do narrador, no entanto, nega que ele deva qualquer coisa. Segundo Camilo Aroldo Filho, o imóvel em questão já foi sim um dia de Galvão Bueno, mas a venda do imóvel ocorreu no ano de 2011.

Publicidade
Publicidade

Apesar da venda ter ocorrido há cinco anos, no entanto, a escritura da propriedade ainda é do mesmo período em que estava com o narrador. Por isso, o nome dele é dado como devedor. De acordo com o advogado, quem deixou de pagar o IPTU, na verdade, foi o atual proprietário do local. 

O IPTU em questão é de um valor baixo para os padrões do apresentador da Globo, cerca de R$ 7 mil. Estima-se que Galvão receba pelo menos R$ 5 milhões. O valor seria o dobro do que ganha o comunicador Fausto Silva de salário. No entanto, Faustão acaba faturando mais no fim do mês, pois pode fazer ações comerciais dentro do programa e também fora dele. 

No entanto, ressalta-se a defesa do apresentador, que diz que não é dele a conta. A prefeitura não quis saber do problema na escritura do imóvel. Decidiu entrar na justiça para cobrar a dívida.

Publicidade

O processo está em tramitação. Desde o dia 04 de junho, o esportista está com o nome sujo em São Paulo. Caso decida não pagar, o apresentador pode ter seus bens penhorados. 

O imóvel em questão tem valor de R$ 540 mil na escritura e quase 300 metros quadrados. O valor que aparece na escritura é de quando ela foi feita, antes do ano de 2011, quando ocorreu a venda e não foi feita a alteração do nome do dono. "O que ocorre é que foi feito um financiamento para a concretização do negócio, o que atrasou a alteração na escritura de propriedade do imóvel", explicou o advogado do jornalista.  #É Manchete!