De acordo com informações da Rádio CBN em matéria veiculada nesta quinta-feira, 23, a Senadora petista Gleisi Hoffmann, eleita pelo Paraná, dobrou o próprio patrimônio no mesmo período em que o marido dela, o ex-Ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, teria repassado milhões em um esquema de corrupção envolvendo créditos consignados de servidores federais. Paulo Bernardo foi preso na quinta-feira durante a Operação 'Custo Brasil', um desdobramento da Operação Lava Jato. O Ministro atuou durante o #Governo da presidente afastada Dilma Rousseff.

Coincidência estranha

A CBN conta na reportagem que a petista até comprou uma cobertura de luxo na capital do estado que foi eleita.

Publicidade
Publicidade

A região escolhida em Curitiba é considerada nobre. O marido dela teria recebido entre 2010 e 2015 até R$ 5,6 milhões desviados de contratos do Ministério do Planejamento com a Consist, uma empresa especializada em produtos de informática. No mesmo período, a Senadora que declarava patrimônio de pouco mais de R$ 600 mil em 2010 chegou a R$ 1,5 milhões em 2014. Os números já descontam o valor da inflação nesse período. 

AP de 2 milhões

A cobertura de luxo comprada pela Senadora está declarada na Receita Federal pelo valor de R$ 1,1 milhão. O imóvel fica em um condomínio de alto padrão em um dos bairros com o metro quadrado mais caro do estado. Segundo uma imobiliária ouvida pela CBN, uma cobertura comercializada na região custa hoje mais de R$ 2 milhões. O prédio onde vive hoje a Senadora no Paraná foi o primeiro da capital a ser construído pela Camargo Correa, uma das empreiteiras envolvidas no maior esquema de corrupção já apurado no Brasil, a Lava Jato. 

Com a Palavra a compradora da cobertura

A empreiteira fez doações legais à campanha da petista no ano de 2010, pouco antes dela comprar o apartamento de luxo.

Publicidade

A Senadora Gleisi Hoffmann chegou a prestar depoimentos à Polícia Federal no ano passado. Nas conversas, ela admitiu que pediu dinheiro à várias empresas. No entanto, diz que tudo o que foi repassado para sua campanha ocorreu de maneira extremamente legal.  #PT