A Agência Brasileira de Inteligência considera "muito provável" que haja um #Ataque Terrorista nas olimpíadas do Rio de Janeiro, que começa em 5 de agosto. A informação foi revelada pela revista Veja, que teve acesso a um documento preparado pela agência e distribuído aos órgãos de segurança que trabalharão nos jogos. Para a Agência, um dos motivos que indicam a iminência de um ataque terrorista é o alto nível de segurança online que os apoiadores do #Estado Islâmico vêm adotando no Brasil. É o mesmo procedimento que outros grupos terroristas adotaram em outros países, antes de realizarem ataques. Além disso, há poucos dias o Estado Islâmico divulgou uma lista de pessoas que deveriam ser assassinadas por seus soldados.

Publicidade
Publicidade

A lista inclui brasileiros, conforme mostrou a Web News Viral / Blasting News. Saiba mais clicando AQUI

No documento a Abin admite ainda que o monitoramento das atividades do grupo terrorista no Brasil ainda é falho. A Agência fala em limitações operacionais e legais que "apontam para um aumento sem precedentes" da probabilidade de ataques terroristas em 2016, especialmente durante a realização dos jogos olímpicos. De acordo com a revista Veja, a Agência Brasileira de Inteligência tem tido o apoio de diversas agências de inteligência estrangeiras para evitar atentados durante os jogos. A americana CIA está no Brasil há meses, com a anuência do governo federal, monitorando o Estado Islâmico.

A Abin ressalva, entretanto, que ataques terroristas espetaculares, como os realizados no 11 de setembro, têm poucas chances de acontecer no Brasil.

Publicidade

A grande preocupação dos órgãos de segurança é com os chamados "lobos solitários", combatentes simpáticos a grupos terroristas que planejam os ataques sozinhos, a exemplo do realizado na boate gay Pulse, de Orlando. "Esse tipo de ação não requer grande planejamento ou aporte financeiro", diz a Agência.

Atualmente a Polícia Federal monitora, no Brasil, 30 suspeitos de ligação com o Estado Islâmico. Um dos suspeitos, inclusive, vive uma situação atípica. Nunca foi condenado por nenhum crime e não há provas de que ele esteja planejando um atentado terrorista, mas a Polícia Federal conseguiu na justiça autorização para obrigá-lo a usar tornozeleiras eletrônicas 24 horas por dia. Ibrahim Chaiboun Darwiche, de Chapecó (SC), está proibido de se aproximar de aeroportos, escolas ou outros locais com grande aglomeração de pessoas. Ibrahim esteve por três meses na Síria, em uma cidade dominada pelo Estado Islâmico, onde possivelmente recebeu treinamento militar. Saiba mais sobre o suspeito e sua rotina de treinamentos com armas de longo alcance clicando AQUI. #Rio2016