Desde que o Brasil foi descoberto, em 1500, o país mudou de nomes e muitas província, mais tarde estados, foram criadas ou extintas. Até pouco tempo, por exemplo, boa parte do estado do Rio de Janeiro era também o Estado da Guanabara. Mato Grosso se dividiu e ganhou o Mato Grosso do Sul. Recentemente, um plebiscito foi realizado para saber se o Tocantins queria se dividir, mas a população não aprovou a proposta. Já há mais tempo na história, o Acre foi comprado. No entanto, desde a descoberta, o Brasil apenas cresceu de território, não se desmembrando em outros países, por exemplo.

Movimentos separatistas são extremamente comuns na Europa e na África.

Publicidade
Publicidade

Esse tipo de cultura, no entanto, é mais fraca aqui. Mas não é difícil você encontrar gente que acredite, por exemplo, que estados como São Paulo, acabam prejudicados a nível nacional e que o melhor seria torná-lo um país. Isso porque em uma nação existem programas, projetos e outros fatores que tendem a assistir a todos. Dessa maneira, o imposto que se paga no seu estado pode ajudar, por exemplo, a matar a fome do Norte e no Nordeste. 

Um movimento separatista, no entanto, tem crescido no país. Intitulado 'O Sul é o Meu Sonho', o grupo já existe há 24 anos e a cada dia ganha mais adeptos. Só no Facebook são mais de 112 mil curtidas. O objetivo do movimento separatista é transformar Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina em um único país. Isso porque o estado brasileiro é visto como prejudicial pelos adeptos dessa ideologia.

Publicidade

O movimento voltou a ganhar grande força em 2011, quando uma pesquisa mostrou que grande parte da população do Sul era a favor da ideia. 

A ideia do grupo é realizar um plebiscito, na qual um novo país seria criado. Esse já tem até bandeira. Toda azul e com três estrelas, representando os três estados. Segundo o movimento, com a separação, o novo país ficaria livre do terrorismo tributário do país. O grupo, no entanto, já foi até tratado de racista, por não querer pertencer ao resto da nação brasileira. 

A constituição brasileira, no entanto, diz que a república é "indissolúvel". Dessa forma, o movimento evita falar em separatismo, mas sim em autonomia. A mesma lei garante que todos os brasileiros possam expressar suas opiniões.  #Governo